publicidade
31/08/15
Detalhe da apresentação de dr. Dimitrios
Detalhe da apresentação de dr. Dimitrios

Entre largar o cigarro e ter um coração saudável, 15 anos de distância

31 / ago
Publicado por Cinthya Leite em Bem-estar - 31/08/2015 às 8:58

Detalhe da apresentação de dr. Dimitrios
Detalhe da apresentação de dr. Dimitrios

Algo que chama nossa atenção aqui no Congresso da ESC 2015 são os estudos que reforçam alertas quanto à nossa saúde. Um deles é sobre a relação do cigarro com problemas cardíacos – talvez porque lembramos que este mês temos o Dia Nacional de Combate ao Fumo (29/8).  Ao lado do colesterol “ruim” – do qual falaremos em breve -, o tabagismo é um fator muito prejudicial ao coração. Parar de fumar é difícil. Mas é apenas o começo: pesquisas apresentadas no evento ratificam que uma pessoa em torno de 50 anos pode ter que esperar até os 65 para ter um boa saúde cardiovascular novamente.

O estudo foi apresentado pelo doutor Dimitrios Terentes-Printzios, da Universidade de Atenas (Grécia), parte da equipe responsável pela pesquisa. Embora a amostra tenha sido pequena – começou com 150 pessoas e terminou com 142 durante a observação de dois anos – ele assegura que os resultados mostram como a rigidez vascular causada pelo fumo resiste anos a fio depois da interrupção do hábito, independentemente de quanto se fuma por semana.

LEIA TAMBÉM
>> Confira dicas para abandonar o cigarro
>> Estudo traça primeiro retrato da insuficiência cardíaca no Brasil
>> Tabagismo, obesidade e alcoolismo são fatores de risco para dor nas costas
>> Blog Casa Saudável entre os 36 mil participantes do ESC 2015, em Londres

“As pessoas ainda pensam que estão protegidas assim que param de fumar”, lamenta o pesquisador, “é preciso tempo, ser paciente e se cuidar muito bem para haver benefícios”. O estudo não teve como foco pessoas entre 30 e 40 anos, mas doutor Dimitrios estima que, em tese, seriam pelo menos entre 5 e 10 anos para reduzir os riscos de doenças e ataques cardíacos. “As conclusões refletem a maior parte da população, mas se você é mais jovem e parar antes, a recuperação é mais rápida porque sua rigidez vascular não é tão grande. Mas o importante é que você se mantenha no plano de abandonar o cigarro o mais rápido possível”, aconselha o médico.

>> Assista aqui os vídeos das apresentações do evento

Dados do Instituto Nacional de Câncer (Inca) mostram que a população fumante do Brasil tem caído: em 1989, 34,8% das pessoas com mais de 18 anos fumavam no País. Em 2008, esse percentual era de 18,5 % e, em 2013, de 14,5%. E você? Fuma? Se parou, conte pra gente como tem sido seu dia a dia sem cigarro.

Só lembrando: o blog cobre o ESC 2015 até esta terça-feira (1º/09), a convite da Amgen.


FECHAR