publicidade
29/12/20
Foto: Caio Falcão/Náutico
Foto: Caio Falcão/Náutico

Executivo é otimista com reação do Náutico na Série B e exalta evolução do grupo

29 / dez
Publicado por Klisman Gama em Náutico às 17:48

O Náutico passa por um turbilhão de fases nesta Série B, oscilando entre curtos momentos bons e outros ruins que perduraram bastante. Porém, desde a chegada de Hélio dos Anjos, o time conseguiu engatar uma reação e tem 11 pontos dos últimos 15 que disputou. Buscou e segue ainda nesta retomada para deixar a zona de rebaixamento. Atualmente o 17º com 35 pontos, o Timbu está empatado com o Figueirense, primeiro time fora do Z4. Apenas está atrás pelo saldo de gols. Muita coisa mudou neste fim de ano, e quem esteve presente nos dois momentos vê com bastante otimismo o crescimento do Alvirrubro.

“Estou completando dois meses de clube, o professor Hélio pouco mais de 30 dias, e graças a Deus conseguimos resgatar a confiança. Depois com a chegada do Hélio, é um novo momento, perfil de jogo, pensamento no modo de montar a equipe dentro de campo, e mostrar para os atletas que era possível. Acho que o principal de tudo é isso. Minha primeira conversa com eles após aquele jogo contra o CSA em Maceió, falei que não podemos jogar uma Série B e não competir à altura porque é uma competição difícil, que exige demais da gente, uma renúncia de algumas coisas, uma entrega maior, e com a qualidade do elenco não é possível estarmos passando por isso”, afirmou o executivo de futebol Fernando Leite em entrevista a Ralph de Carvalho, na Rádio Jornal.

LEIA MAIS

>> Náutico comunica que o atacante Guillermo Paiva não permanece no clube

>> Náutico vê fase ruim na Série B como aprendizado para atual reação da equipe

>> Hereda cresce de rendimento no Náutico e agradece a Hélio dos Anjos

O Náutico vive sua melhor fase na Série B com cinco jogos de invencibilidade. O que respalda o atual momento e dá confiança de que o time vai brigar até o fim para não cair é que, além do bom desempenho, essas boas atuações foram mostradas contra equipes que estão na parte de cima da tabela, além do aproveitamento nos Aflitos. Nos últimos três confrontos, o Timbu empatou com a Chapecoense, fora de casa, e bateu Sampaio Corrêa e Cuiabá em seus domínios. Nas próximas duas rodadas, o Alvirrubro encara Confiança, em Aracaju, e Paraná, no Recife. Ou seja, aproveitando a má fase dos dois adversários, o Náutico pode sair com um lucro muito grande dessa sequência, e a direção acredita nisso. 

“A nossa posição na tabela, no dia de hoje, pode não ter mudado, mas mudou muito a nossa condição de jogo, nossa entrega, nossa disposição em campo, obediência tática e técnica. Até porque na análise nossa tivemos um crescimento na principal parte da tabela, na parte mais difícil onde atravessamos contra Chapecoense, Sampaio Corrêa e Cuiabá, que são clubes que vem disputando as primeiras posições na Série B”, acrescentou. 

“Então isso nos deixa muito felizes. A resposta do elenco, a autoconfiança. Atletas que muitas vezes na minha chegada estavam desacreditados, nem sendo relacionados, passaram a ser titulares da equipe e o mérito é todo deles e do trabalho da comissão técnica de forma geral. Nosso dia a dia se tornou leve, um ambiente de confiança e acho que tudo isso é um pouco de cada coisa que relatei que nos coloca numa situação que depende só da gente”, encerrou.


FECHAR