publicidade
07/11/19
André Gomes se lesionou no domingo (3). Foto: OLI SCARFF / AFP
André Gomes se lesionou no domingo (3). Foto: OLI SCARFF / AFP

André Gomes poderá voltar antes do fim da temporada, diz técnico do Everton

07 / nov
Publicado por Karoline Albuquerque em Futebol Internacional às 17:28

Da AFP – O meia do Everton, André Gomes, poderia voltar a jogar antes do final da temporada depois que a operação de seu tornozelo direito fraturado foi satisfatória, afirmou nesta quinta-feira (7) o técnico do clube inglês, o português Marco Silva.

Gomes, de 26 anos, que é também jogador da seleção portuguesa e voltou a seu país por duas semanas depois de passar por uma cirurgia na segunda-feira (4), sofreu a fratura após uma entrada do sul-coreano do Tottenham Son Heung-min no empate de domingo (3) 1×1.

LEIA MAIS:

>Thiago Scuro destaca desejo de sucesso da Red Bull no futebol brasileiro

>Técnico Pedro Manta mostra confiança no futuro do Retrô após acesso

>Primeira manhã do Confut NE abordou gestão e finanças do futebol

“Para nós não é fácil dar uma data segura sobre seu retorno”, afirmou Silva na coletiva de imprensa antes da partida do fim de semana contra o Southampton.

“O que está em nossa mente e as informações que recebemos da equipe médica é que é possível que vejamos André voltando a jogar nesta temporada”, que acaba em meados de maio.

“Claro, não é 100% certo mas há boas chances. Ele é forte, vai continuar assim e vai ficar ainda mais forte como jogador”, acrescentou.

Silva, cuja equipe precisa de pontos, já que ocupa a 17ª posição, com apenas três de vantagem sobre seu adversário Southampton, afirmou que entendia a tristeza de Son e do zagueiro marfinense Serge Aurier, os dois jogadores envolvidos no lance da lesão de Gomes.

“Acho que (Gomes) recebeu uma mensagem de texto ou algo assim de Son”, afirmou Silva em referência às desculpas apresentadas.

“O momento mais duro foi para André, entre todos os jogadores no campo. Mas, é claro, para os outros dois jogadores envolvidos na jogada, primeiro Son e depois Aurier, também foi realmente duro”, concluiu.


FECHAR