publicidade
07/11/19
Ex-presidente do Bahia, Marcelo Sant'Ana foi um dos palestrantes na manhã desta quinta-feira. Foto: Klisman Gama/JC
Ex-presidente do Bahia, Marcelo Sant'Ana foi um dos palestrantes na manhã desta quinta-feira. Foto: Klisman Gama/JC

Primeira manhã do Confut NE abordou gestão e finanças do futebol

07 / nov
Publicado por Klisman Gama em Náutico às 15:53

A primeira manhã da Conferência de Futebol do Nordeste (Confut) contou com uma grande troca de experiências nos seus dois blocos de palestras e debates. Tendo o foco inicial em gestão esportiva e finanças, o evento contou com a presença de dirigentes, empresários, gestores e jornalistas no JCPM Trade Center, no bairro do Pina, nesta quinta-feira (7).

O Confut foi aberto com uma palestra do ex-presidente do Bahia e sócio do Footway Group, Marcelo Sant’Ana. Um dos maiores representantes da guinada que o Tricolor de Aço deu nos últimos anos, com reforma estatutária e mudanças de gestão implementadas no clube de Salvador. Com um planejamento baseado na modernização do futebol, compliance (termo que significa, a grosso modo, estar de acordo com regras para crescer), transparência, equidade, prestação de contas e responsabilidade corporativa.

LEIA MAIS:

>Thiago Scuro destaca desejo de sucesso da Red Bull no futebol brasileiro

Logo após, uma roda de debate foi feita com as presenças de Marcelo Paz (presidente do Fortaleza), Diógenes Braga (vice-presidente de futebol do Náutico), Diogo Noronha (vice-presidente de marketing do Sport), Pedro Henriques (executivo do Bahia), Ricardo Gluck (presidente do Paysandu), e a mediação é feita pelo gestor esportivo Vinicius Lordello. A conversa foi sobre planejamento estratégico, ambiente instável, regulação estatutária, profissionalização e gestão corporativa.

Em um momento do debate, o presidente do Fortaleza indagou sobre a proposta dos clubes-empresa, que tramita no Congresso Nacional. De acordo com Marcelo Paz, o projeto é um pouco controverso, porque em nenhum momento as agremiações de futebol foram chamadas para participar da formulação desse conceito.

O vice-presidente do Náutico, Diógenes Braga, que também esteve presente, comentou sobre a importância do evento e o quanto ele pode contribuir para o futebol nordestino. Já que a tendência é de se profissionalizar cada vez mais as gestões, em busca de sustentabilidade financeira e esportiva.

“Eu acho que isso reflete o crescimento do futebol nordestino no Brasil. O Nordeste hoje tem três (na verdade são quatro) clubes na Série A. Na Série B o Sport numa condição de acesso encaminhada, o CRB ainda com alguma possibilidade e na Série C com três acessos e o Náutico campeão. Então o que a gente vê é um crescimento do futebol nordestino e esse crescimento se passa muito por iniciativas como a de hoje, que faz com que o futebol seja pensado fora de campo e visto o futebol para no mínimo um ano, não se pode analisar o futebol como resolver o problema da próxima rodada. Futebol tem que ser pensado a longo prazo, eu falo muito isso, é trabalho continuado com minimização de erros”, analisou o dirigente.

“Quando a gente vê um evento que reúne grandes nomes a nível nacional e que inclusive abre o evento com o tema sobre gestão, isso mostra que o futebol nordestino está começando a pensar fora da caixa e começando a enxergar que resolver os problemas dentro de campo é muito mais do que contratar um atleta que acalme a torcida, isso a gente defende muito no Náutico e ficamos muito felizes de ver essa iniciativa e de participar como convidado numa mesa redonda tão rica”, acrescentou.

FINANÇAS

No segundo bloco de palestras e debates da manhã, o direcionamento foi para balanços, cotas de patrocínio, apostas esportivas, licenciamento CBF e Fair Play financeiro. Além da fala inicial do sócio de auditoria da BDO e gestor esportivo Carlos Aragaki, a conversa foi mediada pelo radialista Rafael Marques, do Rio de Janeiro. Participaram Ricardo Veloso (diretor financeiro do Sport), João Paulo Silva (diretor financeiro do Ceará), Francisco Clemente (sócio diretor e head of sports advisory da KPMG no Brasil), Marcelo Barros (sócio da Footway Group e ex-diretor financeiro do Bahia) e Lupércio Segundo (presidente de honra do Santa Cruz-RN).


FECHAR