CASO ABSURDO

#JustiçaPorMiguel: famosos exigem justiça pela morte da criança que caiu de prédio no Recife

#JustiçaPorMiguel: famosos exigem justiça pela morte da criança que caiu de prédio no Recife
Publicado em internet 5/06/2020 às 9:03

A morte do menino Miguel Otávio, de 5 anos, no Recife, comoveu o Brasil inteiro. A criança faleceu após cair do conjunto de edifícios conhecidos como Torres Gêmeas, na capital Pernambucana. Artistas, cantores e outros famosos mostraram solidariedade e pediram, nas redes sociais, justiça pelo caso.

LEIA TAMBÉM:  A dor de Mirtes e o choro de Miguel

Na web, a hashtag #JustiçaPorMiguel já soma mais de 300 mil publicações. O caso ganhou repercussão por conta da fatalidade que aconteceu enquanto a mãe da criança havia saído.

Mirtes Renata trabalhava como doméstica no edifício, e saiu para passear com o cachorro da patroa. Miguel, por sua vez, ficou sob os cuidados de Sarí Gaspar Côrte Real.

A vencedora do Big Brother Brasil 20, Thelma Assis, classificou o caso como “revoltante”. Ela relembrou que Sarí chegou a ir para a delegacia, mas pagou a fiança de 20 mil reais e foi solta. A médica também compartilhou uma petição online que pede justiça por Miguel.

Também do BBB20, Rafa Kalimann refletiu sobre o acontecido. “Que tristeza meu Deus! Fico pensando como seria se fosse o contrário e a empregada domésica tivesse descuidado. Como isso seria resolvido imediatamente?”, tuitou a influenciadora.

Ainda na quarta-feira, 4, a ativista Luisa Mell se mostrou indignada sobre o caso e ofereceu ajuda para Mirtes Renata. “Por favor, quem conhece a mãe, entre em contato comigo. Quero ajudar a pagar um advogado para o caso. Me ajudem a não deixar esta mulher [a patroa] ficar impune porque é rica e influente”, pediu.

Músicos

No mundo da música, muitas celebridades também se revoltaram com os detalhes do caso. Marília Mendonça afirmou que era “impossível não chorar”. “Olho pro rosto do meu filho e penso na dor daquela mãe, que eu jamais imaginarei o tamanho e a intensidade”.

LEIA TAMBÉM: Faltou paciência para tirar meu filho do elevador, diz mãe de criança que morreu ao cair de prédio no Recife

Para os mais de 12 milhões de seguidores, a cantora Iza reforçou o nome e a gravidade do caso de Miguel. “Que horror, meu Deus! Que descaso com a vida do outro!!! Que o Senhor possa confortar o coração dessa mãe e de toda sua família. E que a justiça seja feita, Sari, que todos saibam seu nome”, publicou.

O funkeiro Kevin O Chris compartilhou a petição, afirmando que a família de Migue merece justiça. A apresentadora Maisa Silva, por sua vez, repostou o tweet do cantor.

Anitta publicou uma imagem que questionava: “E se fosse o filho da patroa?”, pedindo justiça por Miguel.

https://twitter.com/Anitta/status/1268717136157069319/photo/1

Artistas

“Impossível imaginar a dor dessa mãe”, escreveu Tatá Werneck, no Instagram. “Uma mãe que JAMAIS faria o mesmo com o filho dessa ‘patroa’. E que agora sofre a maior perda que alguém pode ter”. Nos comentários, famosos como Sandy, Juliana Paes, Adriane Galisteu, Eliana e outros demonstraram apoio.

LEIA TAMBÉM: Famosos vão às ruas para manifestar em favor do movimento Black Lives Matter

Também na rede social, a atriz Letícia Colin classificou tudo como “muito absurdo”, publicando uma foto de Mirtes Renata ao lado do falecido filho, Miguel. As também atrizes Maria Ribeiro e Sophie Carlotte repostaram um longo texto da escritora Djamila Ribeiro. A publicação trazia uma manchete do desabafo da empregada doméstica:”Se fosse eu, meu rosto estaria estampado”.

View this post on Instagram

#Repost @djamilaribeiro1 Estou consternada com mais esse caso de descaso com a vida de pessoas negras no país. É importante relembrar que a primeira morte de coronavírus registrada foi de Dona Cleonice Gonçalves, empregada doméstica que estava trabalhando na casa da patroa que voltara infectada de uma temporada na Europa, mas que mesmo assim manteve-a trabalhando. Agora, a senhora Mirtes Renata, outra doméstica que estava trabalhando na casa da madame mesmo sob isolamento, chora a morte de seu filho, Miguel Otávio Santana da Silva, uma criança de cinco anos. Sem ter com quem deixar a criança, Mirtes o levou para o serviço e, em dado momento, teve que passear com o pet da patroa, quem deveria olhar a Miguel durante a volta. Pois quando voltou do passeio, descobriu que seu filho foi atrás dela, sem a menor supervisão da patroa. A criança se perdeu, acabou se desequilibrando e caiu de nove andares. A patroa foi levada até a delegacia, pagou R$ 20 mil de fiança, e voltou para casa. Já a empregada doméstica agora amarga a maior dor de todas. . Há uma série de absurdos nesse caso. A começar por: estamos em um isolamento! Ora, então por que a empregada doméstica estava convivendo sob o mesmo teto que a patroa? Ora, de herança direta da escravidão, o serviço doméstico é uma tarefa historicamente relegada às mulheres negras no Brasil. Alvo de todo tipo exploração para manutenção em condições abusivas de trabalho, vemos a repetição diária da lógica Casa Grande-Senzala, em que as mulheres escravizadas não podiam ficar com seus filhos, pois tinham que cuidar e criar os filhinhos da sinhás. É uma profissão que apenas recentemente foi regulamentada sob forte oposição de grande parcela da sociedade. . Segundo informações da mídia, o nome da patroa é Sari Corte real. Seria cômico senão fosse trágico. A lógica da Casa Grande e Senzala ainda se mantém. Toda solidariedade a essa mãe que chora a morte do seu filho, mais uma vítima do racismo brasileiro. Minha mãe, avó, bisavó foram empregadas domésticas. Essa criança poderia ser eu.

A post shared by Sophie Charlotte (@sophiecharlotte1) on

No Twitter, ator Armando Babaioff mandou um “recado” para o pequeno. “Miguel, vi uma foto sua e fiquei pensando. O que será que você gostava de desenhar? Qual era a sua fruta favorita? Será que como um bom pernambucano sabia frevar? Sport ou Náutico? To chorando o dia inteiro…”. No tweet, o artista também colocou uma foto da criança, em uma festa de aniversário.

Petição

No site change.org, uma petição exigindo justiça pelo caso viralizou na internet. O abaixo-assinado pretende arrecadar 1.500.000 assinaturas. “A vida dele [Miguel] importa e vale muito mais que 20 mil reais de fiança! Cobramos por justiça e para que os responsáveis paguem pelo crime”, afirma a nota. Até o fechamento da matéria, 1.438.631 pessoas já assinaram.

Compartilhe
Comentários