publicidade
19/03/20
Foto: Pixabay
Foto: Pixabay

Começa a corrida para descobrir uma vacina contra o coronavírus

19 / mar
Publicado por Manuela Figueredo em CIÊNCIA às 8:31

Duas grandes potências já começaram a trabalhar para encontrar uma vacina capaz de frear a disseminação da covid-19: Estados Unidos e China. Além delas, outros países também estão medindo esforços para incentivar pesquisas e testar vacinas. Sob condições normais, o desenvolvimento de uma nova vacina pode levar uma década. Mas, se tratando de uma pandemia que se alastra com facilidade, existe pressa.

Nos Estados Unidos, cientistas norte-americanos já realizaram o primeiro teste da vacina contra o coronavírus em humanos. Autoridades de saúde dos Estados Unidos disseram, na segunda-feira (16), que voluntários de Seattle, um dos estados mais afetados pela covid-19 no país, começaram a ser imunizados. A vacina americana foi desenvolvida por cientistas e colabores do Instituto Nacional de Saúde dos EUA (NIH), em um trabalho conjunto com empresa de biotecnologia Moderna, com sede em Cambridge, Massachusetts. O Instituto informou que o teste faz parte de um estudo que vai acompanhar 45 voluntários adultos saudáveis, com idades entre 18 e 55 anos, e deve durar ao menos seis semanas.

Enquanto isso, na China, cientistas receberam a aprovação para iniciar os ensaios clínicos em estágio inicial dessa potencial vacina. O Ministério da Defesa confirmou, em comunicado divulgado na terça-feira (19), que seu primeiro protótipo da vacina contra o coronavírus está pronto para testes clínicos. Este projeto foi desenvolvido por uma empresa privada, a CanSino Biologics, localizada em Tianjin ―cidade portuária perto da capital―, em colaboração com a Academia Militar de Ciências Médicas. Requisitos para os voluntários: os candidatos têm que ser pessoas saudáveis, com idades entre 18 e 60 anos e que não tenham tido a doença.

Ações de outros países

A Espanha também procura encontrar uma vacina. O Governo anunciou, na terça-feira, um investimento de 29,65 milhões de euros (165 milhões de reais) para pesquisas sobre o novo coronavírus como uma das medidas econômicas de emergência contra a covid-19. Uma das equipes mais avançadas no desenvolvimento de vacinas contra coronavírus é a de Isabel Sola e José Luis Enjuanes no Centro Nacional de Biotecnologia de Madri (CNB-CSIC), que receberá 4,5 milhões de euros (30 milhões de reais).

A Coalizão para as Inovações e Preparação para Epidemias (CEPI), uma organização sem fins lucrativos com sede em Oslo, na Noruega, aumentou sua ajuda em mais de 90 milhões de dólares (450 milhões de reais) para impulsionar o desenvolvimento de vacinas. Um dos receptores de financiamento da CEPI é a Moderna. Além dela, um laboratório da Universidade de Queensland, na Austrália, também possui uma possível vacina que começará a ser testada em humanos nos próximos meses. O Governo espanhol dedicou 30 milhões de euros (165 milhões de reais) a essas tarefas.

Na Alemanha, a empresa CureVac, com sede em Tubinga, também participa da corrida para desenvolver uma vacina contra a covid-19. A CureVac trabalha em conjunto com o instituto Paul Ehrlich de vacinas e biomedicina e calcula que no início do verão europeu (inverno no Hemisfério Sul) uma vacina experimental estará pronta para começar a ser testada em humanos.

Processo de criação de vacinas

De acordo com a France Presse, todo o processo de criação de uma vacina deve durar entre 1 ano a 18 meses, em função da necessidade de mais testes. Além disso, vai ser necessário tempo e capacidade de produção para que a vacina útil chegue às milhões de pessoas em todo o mundo que possam precisar dela.

Fernando Simón, diretor do Centro de Coordenação de Alertas e Emergências Sanitárias da Espanha, alertou sobre o desenvolvimento de vacinas, em entrevista coletiva à imprensa. “As vacinas em andamento estão em seus estágios iniciais, algumas são promissoras, mas precisam ser eficazes e seguras, e haver capacidade de produção suficiente para atender às necessidades globais, por isso será um longo período”. Ainda, acrescentou: “O fato de existirem não significa que estejam disponíveis”, acrescentou, em entrevista coletiva à imprensa.

WhatsAapp lança um “hub de informações” sobre o coronavírus para combater desinformação

Fake News

Na internet, circula a informação de que Cuba criou uma vacina contra o novo coronavírus, entretanto, trata-se de uma notícia falsa. Na verdade, um dos medicamentos usados no tratamentos de infectados na China, onde teve início a disseminação do vírus que causa a covid-19, foi o Interferon Alfa 2B, desenvolvido em Cuba. O diretor de investigações biomédicas do Centro de Engenharia Genética e Biotecnologia de Cuba, Gerardo Guillen, ressalta que Cuba não tem a vacina contra a doença.

O que é coronavírus?

Coronavírus é uma família de vírus que causam infecções respiratórias. O novo agente do coronavírus foi descoberto em 31/12/19 após casos registrados na China.Os primeiros coronavírus humanos foram isolados pela primeira vez em 1937. No entanto, foi em 1965 que o vírus foi descrito como coronavírus, em decorrência do perfil na microscopia, parecendo uma coroa.

A maioria das pessoas se infecta com os coronavírus comuns ao longo da vida, sendo as crianças pequenas mais propensas a se infectarem com o tipo mais comum do vírus. Os coronavírus mais comuns que infectam humanos são o alpha coronavírus 229E e NL63 e beta coronavírus OC43, HKU1.

Como prevenir o coronavírus?

O Ministério da Saúde orienta cuidados básicos para reduzir o risco geral de contrair ou transmitir infecções respiratórias agudas, incluindo o coronavírus. Entre as medidas estão:

  • Lavar as mãos frequentemente com água e sabonete por pelo menos 20 segundos, respeitando os 5 momentos de higienização. Se não houver água e sabonete, usar um desinfetante para as mãos à base de álcool.
  • Evitar tocar nos olhos, nariz e boca com as mãos não lavadas.
  • Evitar contato próximo com pessoas doentes.
  • Ficar em casa quando estiver doente.
  • Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar com um lenço de papel e jogar no lixo.
  • Limpar e desinfetar objetos e superfícies tocados com freqüência.
  • Profissionais de saúde devem utilizar medidas de precaução padrão, de contato e de gotículas (mascára cirúrgica, luvas, avental não estéril e óculos de proteção).

Para a realização de procedimentos que gerem aerossolização de secreções respiratórias como intubação, aspiração de vias aéreas ou indução de escarro, deverá ser utilizado precaução por aerossóis, com uso de máscara N95.

Confira o mapa de casos


FECHAR