publicidade
05/02/15

Campus Party: Jovem de 13 apresenta impressora para cegos

05 / fev
Publicado por Letícia Saturnino em Campus Party às 10:25

Uma das impressoras será doada ao Brasil. (Divulgação).
Uma das impressoras será doada ao Brasil. (Divulgação).

cpp

SÃO PAULO – Jovem norte-americano Shubham Banerjee, de apenas 13 anos, já é dono de sua própria empresa, a Braigo Labs. Mais ainda: ele é a pessoa mais jovem a receber um grande aporte de investimento de um fundo de capital. Mas nada é perto do seu maior feito: ele criou uma impressora em braile.

LEIA MAIS
O sonho de Nicolelis que renovou esperanças
Campus Party Brasil tem oficina de drones
Programar códigos é fácil e qualquer um pode fazer
Próxima revolução será regional, diz diretor do Facebook

Banerjee foi um dos palestrantes magistrais da oitava Campus Party Brasil, que acontece em São Paulo até sábado. Ele apresentou a sua invenção e dos bastidores que levaram à criação do equipamento batizado de Braigo. O garoto criou a impressora a partir de um kit de robótica Lego Minstorms EV3 como parte de um projeto da sétima série de sua escola.

O nome vem da junção das palavras Braile + Lego. Usando rolo de papel especial, programação básica e pilhas ele desenvolveu a impressora de baixo custo por cerca de 500 dólares. A montagem foi disponibilizada na internet. O sucesso do invento chamou atenção de investidores e empresas de tecnologia, como a Intel.

Elas levaram a impressora a um novo estágio com a formulação de um novo design e planos para lançá-la em escala. Apesar de já existirem impressora para braile, todas são caras e quase nenhum é adaptada ao uso doméstico. “Percebi que dos 250 milhões de deficientes visuais no mundo, 90% vivem em países pobres”, disse. “Não posso trazer a visão delas de volta, mas quero tornar a vida um pouco mais fácil”.

Depois da fundação da empresa, a mãe de Banerjee assumiu o cargo de CEO. Agora, a empresa pretende doar 25 impressoras para instituições que cuidam de deficientes visuais pelo mundo. Uma delas ficará aqui no Brasil.

* Viajou a convite da Fundação Telefonica


FECHAR