publicidade
19/01/21
Foto: Caio Falcão/Náutico
Foto: Caio Falcão/Náutico

Hélio dos Anjos admite obrigação do Náutico em vencer Oeste-SP nos Aflitos

19 / jan
Publicado por Klisman Gama em Náutico às 17:56

Empatado com Figueirense e Vitória na tabela da Série B com 39 pontos, mas ainda se mantendo fora da zona de rebaixamento por conta do saldo de gols, o Náutico tem uma partida decisiva contra o Oeste-SP nesta quarta-feira (20). Diante do lanterna da competição, já rebaixado, não há outro resultado que sirva para o Timbu além do triunfo. Algo que, internamente, o clube enxerga como uma obrigação. Se vencer, dá um passo largo para assegurar a permanência nas rodadas restantes. Porém, um tropeço pode abalar a confiança, algo que o grupo não quer deixar de maneira alguma.

LEIA MAIS

>> Vencer o Oeste-SP pode ajudar Náutico a “exorcizar” lembrança negativa deixada em 2016

>> Confira as últimas rodadas do Náutico e seus concorrentes na luta contra o descenso na Série B

>> Após derrota, risco de queda do Náutico aumenta e liga o alerta no clube

“A obrigação é criada pelas nossas necessidades. Seria diferente se estivesse em outro momento do campeonato, eu não deixaria que essa palavra ‘obrigação’ fosse usada. Agora, as nossas circunstâncias passam por uma vitória frente ao Oeste-SP para facilitar a nossa vida. E não podemos esquecer que o Oeste-SP venceu o último jogo deles fora de casa, contra o Cruzeiro”, comentou o técnico Hélio dos Anjos. 

O Oeste-SP vem de bons resultados nos últimos seis jogos, onde somou três vitórias, um empate e duas derrotas. Outro ponto interessante é que, no returno, o Rubrão não foi derrotado por nenhuma equipe que briga contra o rebaixamento. Venceu Vitória e Figueirense atuando em casa e empatou com o Botafogo-SP. Ainda conseguiu os três pontos contra o Cruzeiro em Belo Horizonte neste recorte. Ou seja, o comandante do Náutico não vê qualquer possibilidade de ser um confronto fácil. É uma situação onde o Timbu precisa se impor e tomar as rédeas da partida durante os 90 minutos, ainda mais por jogar em seus domínios.

“Então eles oferecem perigo, estão sem a responsabilidade, e eu me preocupo muito quando vou jogar com time assim, sem responsabilidade na tabela e no resultado, porque esse time joga mais leve, solto, sem a pressão natural. O que temos que fazer é criar uma situação de passar a régua. Não temos outra alternativa. Temos que ser o time que o Náutico tem demonstrado ser, alcançando êxito, jogando dentro dos Aflitos”, finalizou Hélio.


FECHAR