publicidade
10/12/20
Paolo Rossi foi artilheiro da Copa de 1982. Foto: Staff/AFP
Paolo Rossi foi artilheiro da Copa de 1982. Foto: Staff/AFP

Paolo Rossi, herói da Itália na Copa de 1982, morre aos 64 anos

10 / dez
Publicado por Gabriela Máxima em Futebol Internacional às 8:57

Da AFP – O ex-jogador italiano Paolo Rossi, herói e artilheiro da Copa do Mundo de 1982 vencida pela Itália, morreu aos 64 anos. A informação foi confirmada pela esposa do ex-jogador, Federica Cappelletti. A imprensa italiana deu a notícia durante a madrugada e rapidamente prestou homenagem ao lendário atacante.

“Paolo Rossi, o amável poeta do futebol que foi a alegria de toda Itália em 1982, morreu”, anunciou o site do jornal Corriere della Sera, que menciona uma “doença incurável”. Ele foi o homem “que fez o Brasil chorar e levou os Azzurri de Bearzot à conquista da Copa do Mundo”, destacou o jornal La Repubblica.

“Lembro de um jogador extraordinário, de um excelente companheiro e de um amigo. Porque esta equipe do Mundial de 1982 era uma equipe formada por amigos”, declarou o ex-goleiro Dino Zoff, capitão da Itália que conquistou a Copa do Mundo na Espanha.

>> Aos 60 anos morre Diego Armando Maradona 

>> Copa doe 1986: a consagração de Maratona com o bicampeonato da Argentina 

>> Com estado delicado de saúde, técnico campeão do mundo em 1986 não sabe da morte de Maradona 

Suspenso por três anos em 1980 em um caso de escândalo de partidas de futebol manipuladas, o atacante acabou sendo convocado para o Mundial de 82 na Espanha, após uma redução de sua sanção.

Depois de protestar continuamente por sua inocência, foi liberado para jogar. Ficou marcado como o algoz da seleção brasileira de Zico, Sócrates e Falcão naquela Copa, marcando os três gols da “Squadra Azzurra” na vitória por 3×2. Rossi ganhou a Bola de Ouro nesse mesmo ano.

A esposa de Rossi anunciou a morte com um post no Instagram ao lado de uma foto do casal, acompanhada do comentário “Para sempre”, seguido de um coração. “Nunca haverá ninguém como você, único, especial, depois de você o nada absoluto… “, escreveu Federica Cappelletti também no Facebook.

O presidente da Federação Italiana de Futebol, Gabrielle Gravina, citou uma “dor profunda, uma ferida no coração de todos os apaixonados (pelo futebol) que será difícil de curar. Inspirou muitos atacantes das novas gerações com seu estilo de jogo”. “A Série A chora por um imortal do nosso futebol, querido no mundo inteiro”, afirmou o presidente da Série A, Paolo Dal Pino.

A notícia de seu falecimento chega duas semanas após a morte da lenda do futebol argentino Diego Maradona, vencedor da Copa do Mundo de 1986.

 


FECHAR