publicidade
11/01/19
O meia recifense foi formado na base do Leão e agora assina com o Timbu. Foto: Léo Lemos/Náutico
O meia recifense foi formado na base do Leão e agora assina com o Timbu. Foto: Léo Lemos/Náutico

Cria do Sport, Fábio Matos promete honrar camisa do Náutico

11 / jan
Publicado por Karoline Albuquerque em Náutico às 19:26

Mais um reforço do Náutico para a temporada 2019 foi oficialmente apresentado nesta sexta-feira (11). O meia Fábio Matos, de 22 anos, apesar de jovem, já é conhecido no futebol pernambucano. Recifense, o jogador foi formado nas categorias de base do Sport. Mas, ele deixa o passado rubro-negro de lado e exalta o profissionalismo ao trocar de cores.

“A rivalidade entre os clubes pernambucanos sempre existirá. Quando eu estou no rival, no Sport, que vou torcer para o Sport. Hoje estou no Clube Náutico Capibaribe, que abriu as portas para mim e sou muito grato. No que depender de mim, vou honrar sempre essa camisa e vou dar o meu melhor sempre”, prometeu o recém-chegado alvirrubro. 

LEIA MAIS:

Náutico anuncia André Krobel como oitavo reforço para 2019

Maylson se vê com mais responsabilidade para brigar por titularidade no Náutico

Polêmica, hiato e recomeço: Maylson volta ao Náutico após quase dois anos

E logo na 3ª rodada do Campeonato Pernambucano, agendada para o dia 27 de janeiro, Fábio poderá reencontrar o antigo time. No Clássico dos Clássicos, ele garante que os dois lados vão entrar para ganhar, mesmo existindo polêmicas e rivalidades. “Estou defendendo a camisa do Náutico e é o clube que paga meu salário hoje, que abriu as portas e estou muito feliz aqui. Vou entrar sempre para ganhar, independente de contra quem for, seja Sport, Santa Cruz, Salgueiro”, minimizou o jogador.

Antes de voltar à sua cidade natal, o jogador estava em Belém do Pará, defendendo o Paysandu. Não só por defender um tima do Recife, o meia está feliz em voltar para casa. “Eu tinha outras opções, mas acreditei no projeto. Como eu gosto daqui do Recife, minha base toda foi aqui, já estou muito bem adaptado e decidi vir para cá. Voltar de novo ao mercado, fiquei cinco meses desempregado e sei bem como é difícil”, concluiu Fábio Matos.


FECHAR