DANOS MORAIS

Mulher que movia processo contra Nego do Borel morre sem receber indenização na Justiça

Mulher que movia processo contra Nego do Borel morre sem receber indenização na Justiça

Nego do Borel (Foto: Reprodução/Instagram)

Publicado em Famosos 1/07/2020 às 1:02

Em 2014, a guia turística Hilda de Britto Champoudry moveu um processo contra o cantor Nego do Borel. O episódio, que aconteceu em um aeroporto, constrangeu a mulher, que virou chacota na internet. Na Justiça, ela pedia R$ 95 mil reais de indenização por danos morais, mas faleceu antes do fim do processo.

LEIA TAMBÉM: Nego do Borel comunica que vai processar os sogros após acusações de agressões à Duda Reis

Vítima de câncer, Hilda faleceu em outubro de 2019, aos 62 anos, e teve seu caso arquivado. O motivo do processo foi uma brincadeira, feita por Nego do Borel, sem autorização da guia. Ela esperava por parentes no aroporto de Santos Dumont, no Rio de Janeiro.

Segundo a advogada da mulher, Marli dos Santos Loureiro, Nego do Borel apareceu “usando um agasalho com capuz”. Em seguida, ele se atirou contra ela, gritando e depois saindo aos risos. Tudo foi postado nas redes sociais do artista.

O susto foi tão grande que Hilda se acalmou apenas após tomar calmante. A repercussão foi tanta que gerou o processo na 7ª Vara Cívil Reginal de Jacarepaguá. Uma audiência foi marcada para novembro de 2019, de acordo com o Notícias da TV. Nego do Borel, inclusive, apareceu e foi lá que soube da morte da mulher. A ação foi extinta e o caso foi arquivado oficialmente na semana passada.

Compartilhe
Comentários