POLÍTICA

“Minha quarentena começou no ano eleitoral em 2018”, diz William Bonner sobre ataques de ódio

“Minha quarentena começou no ano eleitoral em 2018”, diz William Bonner sobre ataques de ódio

William Bonner se confundiu durante o Jornal Nacional da última quinta, 26 (Foto: Reprodução/TV Globo)

Publicado em Famosos Jornalismo 27/05/2020 às 8:25

Em um tempo difícil para a imprensa, William Bonner fez um longo desabafo na Conversa com Bial da terça, 26. O jornalista afirmou que sua quarentena não tem a mesma duração que as outras pessoas. Ela veio desde 2018, durante o período eleitoral.

LEIA TAMBÉM: William Bonner diz que nome do filho foi usado em fraude no auxílio emergencial

“As minhas bochechas mostram que a minha quarentena não começou há dois meses. Minha quarentena começou no ano eleitoral de 2018”, justificou o âncora. William Bonner conta que, desde a eleição de Jair Bolsonaro, ficou mais difícil sair na rua sem receber ataques de ódio.

Segundo o jornalista, a simples presença dele em locais comuns era motivo de tensão entre os transeuntes. E isso chegou ao extremo: William Bonner conta que já chegou a ser hostilizado em público.

O episódio aconteceu em uma manhã de sábado, em uma padaria do Rio de Janeiro. “Fui agredido verbalmente, insultado e desafiado por uma cidadã embriagada”, descreve.

“[Ela] se viu no direito de fazer isso a um palmo e meio de distância do meu rosto. Foi constrangedor para as pessoas no local e para mim. Eu me senti culpado por incomodar, com aquela situação, quem estava comendo um simples pão na chapa”.

William Bonner ainda reflete sobre como a opinião das pessoas sobre ele muda de acordo com a visão política. Ele exemplificou pessoas que há alguns anos apoiavam o seu trabalho hoej o xingam, e vice-versa.

“Eu falo de mim, mas também falo de toda uma categoria profissional. Mas, eu tenho consciência que sou um símbolo, eu sou o jornalismo da Globo, eu sou a mídia. Eu simbolizo muita coisa para pessoas que não me conhecem”.

Compartilhe
Comentários