HQ censurada por trazer beijo gay se esgota na Bienal do Livro do Rio

HQ censurada por trazer beijo gay se esgota na Bienal do Livro do Rio

HQ dos Vingadores, "A Cruzada das Crianças", causa polêmica na Bienal Internacional do Livro, no Rio de Janeiro. Foto: Reprodução/Marvel

Publicado em Notas Política 6/09/2019 às 2:27

A história em quadrinhos da Marvel, Vingadores – A Cruzada das Crianças, que foi censurada pelo prefeito do Rio, Marcello Crivella, e recolhida da Bienal Internacional do Livro por exibir um beijo gay, se esgotou na manhã desta sexta-feira (6), confirmou a assessoria de imprensa do evento ao UOL.

A polêmica sobre o beijo gay

Vingadores – A Cruzada das Crianças, escrito por Allan Heinberg e ilustrada por Jim Cheung, mostra o romance entre heróis gays. Wiccano, filho da Feiticeira Escarlate, e Hulkling, que deve ganhar espaço na continuação do filme da Capitã Marvel daqui há alguns anos, são namorados na trama.

A notificação, que veio através da Secretaria Municipal da Ordem Pública (Seop), aconteceu, segundo a prefeitura do Rio de Janeiro, para que a Bienal do Livro se adequasse aos artigos 74 e 80 do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA).

“A legislação determina que publicações com cenas impróprias a crianças e adolescentes sejam comercializadas com lacre (embaladas em plástico ou material semelhante), com a devida advertência de classificação indicativa de seu conteúdo”, dizia o comunicado oficial emitido pela prefeitura, que entendeu o material como inadequado.

LEIA MAIS: ‘Órfãos da Terra’: Globo corta cena de beijo de Valéria e Camila

Apesar dos exemplares estarem lacrados, de acordo com o órgão, houveram reclamações. “Uma obra não pode ilustrar o tema do homossexualismo a adolescentes e crianças, inclusive menores de dez anos, sem que se avise antes qual seja o seu conteúdo”, explicou a nota.

A prefeitura afirma não existir nenhum ato de censura, trans ou homofobia por parte deles, mas a informação “quanto ao que se considerada material impróprio ou inadequado a crianças e adolescentes, exigindo-se, assim, o lacre e a advertência”. A Seop garantiu que a licença da Bienal pode ser cassada se o evento não se readequar.

A resposta da Bienal Internacional

“A Bienal Internacional do Livro Rio, consagrada como o maior evento literário do país, dá voz a todos os públicos, sem distinção, como uma democracia deve ser. Este é um festival plural, onde todos são bem-vindos e estão representados. Inclusive, no próximo fim de semana, a Bienal do Livro terá três painéis para debater a literatura Trans e LGBTQA+”, disse a assessoria da Bienal, garantindo, antes mesmo de se esgotarem, que não retiraria os Vingadores de suas pratilheiras, afirmando que o material é comercializado em todo o mundo desde 2016, sem qualquer restrição.

E explica que, caso um visitante adquira uma obra e não goste da mesma, ele terá todo direito de trocar o produto, reiterando o Código de Defesa do Consumidor. A 19ª Bienal Internacional do Livro do Rio acontece até domingo, 8.

Compartilhe
Publicado por
Igor Guaraná

Comentários
WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com