publicidade
15/02/19
Profissionais farão busca ativa de pessoas que entraram em contato com outras que tiveram a doença para agendar o exame dermatoneurológico (Foto: Ikamaha Lopes/Sesau PCR)
Profissionais farão busca ativa de pessoas que entraram em contato com outras que tiveram a doença para agendar o exame dermatoneurológico (Foto: Ikamaha Lopes/Sesau PCR)

Hanseníase: Recife realiza mutirão de exames para investigação da doença

15 / fev
Publicado por Letícia Saturnino em Blog - 15/02/2019 às 18:46

A Secretaria de Saúde da Prefeitura do Recife realizará, entre segunda-feira (18) e sexta-feira (22), um mutirão para começar a identificar e investigar pessoas que tiveram contato com quem teve hanseníase nos últimos cinco anos.

O trabalho faz parte da segunda fase de um projeto que busca reduzir os casos da doença em alguns municípios brasileiros, entre eles a capital pernambucana. Com duração até junho, o público-alvo dessa etapa é formado por cerca de cinco mil pessoas.

Algumas unidades de saúde, escolhidas pela concentração de casos, foram previamente selecionadas para implementar o exame de forma contínua e sistemática. Dentro da rotina, os profissionais terão de fazer busca ativa de familiares e pessoas próximas de quem teve a doença para agendar o exame dermatoneurológico. A avaliação precisará ser feita uma vez por ano, durante cinco anos consecutivos. Unidades que não estão dentro do cronograma desta semana realizarão as atividades até junho.

Leia mais: Marco Zero do Recife recebe ação de testagem gratuita de HIV e sífilis neste domingo

Leia mais: Febre amarela: OMS alerta para possível 3ª onda de surto da doença no Brasil

A primeira fase do projeto “Abordagens inovadoras para intensificar esforços para um Brasil livre de hanseníase”, do Ministério da Saúde e Organização Pan- Americana de Saúde (OPAS-OMS), aconteceu em abril de 2018, com treinamento teórico e prático para profissionais da rede municipal, campanha de educação em saúde e busca ativa de casos nos territórios.

A doença

Hanseníase é uma doença infecciosa, crônica, de grande importância para a saúde pública devido à sua magnitude e seu alto poder incapacitante, atingindo principalmente a faixa etária economicamente ativa. Todas as unidades de saúde da família do Recife realizam tratamento da doença.

Sanar Recife

Para atender as doenças consideradas negligenciadas transmissíveis (hanseníase, filariose, tuberculose e geo-helmitíase), a Prefeitura do Recife criou, em 2013, o programa Sanar Recife, que atua em parceria com as Coordenações das Políticas Municipais, desenvolvendo ações como assessoramento de unidades de saúde; acompanhamento e investigação dos casos; fortalecimento da assistência laboratorial, fortalecimento da rede de atenção básica e promoção de ações de educação em saúde.


FECHAR