publicidade
30/08/17
Gretchen e Thammy  /Foto: Reprodução
Gretchen e Thammy /Foto: Reprodução

“Doía no meu coração”, diz Gretchen ao relembrar transição de Thammy

Publicado por Gabriele Lima em Famosos às 14:51

Na última terça-feira (29), Ivana, interpretada por Carol Duarte na novela A Força do Querer, da Globo, contou para família que é transexual e cortou o cabelo na frente da mãe, Joyce, vivida por Maria Fernanda Cândido. A cena, que emocionou, ganhou repercussão nas redes sociais e fez a cantora Gretchen relembrar o processo de auto-descoberta do filho Thammy Miranda. Em entrevista à VEJA, nesta quarta-feira (30), a artista falou sobre o assunto: “Ele passou por tudo o que a Ivana vive. Assistindo aos episódios, tive os mesmos sentimentos daquele período. É bom saber que estão abordando esse assunto, porque isso acaba ajudando muitas pessoas”.

“Aquele momento de apertar os seios, usar cinta, não saber o que está acontecendo com ela e por que estava sentindo aquelas coisas, foi tudo o que o Thammy passou”, contou Gretchen. A cantora ainda pontuou qual foi o momento mais emocionante durante esse processo de transição: a primeira vez em que o filho ficou sem camisa na praia, após se assumir como homem.

“Ele sempre ficava com roupas na praia, em pleno verão, tinha que usar uma cinta apertando o peito o tempo todo. Isso doía no meu coração. Hoje, saber que ele pode tirar a camisa, tomar sol e ser ele mesmo, vale tudo”, disse.

Ao Ferdinando Show, no Multishow, a cantora falou que precisou de um tempo para entender e aceitar o que se passava no corpo e na cabeça do filho: “A transexualidade é algo cientificamente comprovada. A pessoa nasce com um sexo, mas o resto dele, o cérebro dele é de outro. Eu já entendia isso na minha vida. Meu filho é transexual. Já entendi isso no dia a dia. Mas tive que aprender sozinha. Não existia a ciência para me mostrar que aquilo era realmente verdadeiro. Tive que aprender no dia a dia, com a convivência, com os erros e acertos de uma mãe que não sabe o que está acontecendo. […] Não importa se é homem, mulher, trans, homo. Não importa! Mas será sempre o nosso bebê. Vamos amar para o resto da vida”.

“Todo mundo tem a liberdade pra ser o que é. Eu sou uma pessoa que sempre foi livre, desde quando era novinha. Nunca me preocupei com o que as pessoas pensavam a meu respeito. Se eu tivesse que gostar de mulher, ia gostar do mesmo. Se tivesse que gostar de homem… Não interessa! Sempre fui eu”, finalizou.



PUBLICIDADE
FECHAR