publicidade
10/06/21
Mbappé (D) é o principal jogador da França. FOTO: FRANCK FIFE / AFP
Mbappé (D) é o principal jogador da França. FOTO: FRANCK FIFE / AFP

De 4 a 24 seleções, a Eurocopa soube como crescer

10 / jun
Publicado por Blog do Torcedor em Futebol Internacional às 10:34

AFP 

Inaugurada na França, em um Parque dos Príncipes quase vazio com apenas quatro seleções em 1960, a Eurocopa foi ganhando prestígio progressivamente ao ponto de se tornar uma das grandes competições do futebol, que em sua 16ª edição (de 11 de junho a 11 de julho) tem 24 seleções. Assim como a Copa do Mundo ou as competições europeias de clubes, a ideia do torneio nasceu na França.

“A criação da Eurocopa foi um desejo de Henri Delaunay, secretário-geral da Federação Francesa de Futebol (FFF), e de seu filho Pierre após a morte de seu pai”, explicou o historiador Paul Dietschy à AFP. “Foi uma revanche contra Jules Rimet, que atribuiu a si mesmo a paternidade da Copa do Mundo quando havia sido, antes de tudo, uma ideia de Delaunay, que ficou frustrado com isso”, acrescenta este autor de um livro de referência sobre a história do futebol.

A ideia teve origem no período entreguerras, mas não pôde ser concretizada devido às tensões políticas da época. A Copa das Nações Europeias, nome do torneio até 1968, antes de ser renomeada como Campeonato da Europa de Nações, só nasceu no final dos anos 1950. Morto vítima de uma enfermidade em 1955, antes de ver o seu projeto se concretizar, Henri Delaunay acabou dando seu nome ao troféu que é entregue a cada seleção que se sagra campeã europeia.

LEIA MAIS

Inglaterra sonha conquistar sua primeira Eurocopa em “casa”

Foden agradece ao técnico da Inglaterra nova oportunidade na equipe

Brasil foi campeão em cinco das últimas 10 edições de Copa América; relembre

Problemas no início

Apenas 17 seleções se comprometeram a participar da primeira edição do torneio, que começou com confrontos duplos diretos até uma definição na forma de um ‘Final Four’, com quatro equipes. Inglaterra, Alemanha Ocidental (RFA) e Itália preferiram não participar desse início, argumentando que já tinham “muitas datas (ocupadas) no calendário”, explica Dietschy.

“O público não respondeu”, lembra o historiador. Havia 27.000 espectadores no Parque dos Príncipes para assistir a França (sem suas estrelas Raymond Kopa, nem Just Fontaine, lesionados), ser derrotada pela Iugoslávia (5-4), e 18.000 na final entre União Soviética e Iugoslávia (2-1). “É o problema de uma competição quando ela ainda é jovem e que precisa construir uma história”, explica Dietschy.

“A primeira Copa do Mundo também não teve um grande sucesso em 1930”, acrescenta, “quando contou principalmente com seleçoes das américas e quatro seleções europeias de segunda categoria (França, Romênia, Bélgica e Iugoslávia). Só havia público de verdade nos jogos do Uruguai e da vizinha Argentina”. Em 1960, além da França, a ‘Final a Quatro’ contou com três equipes do Bloco do Leste europeu.

“Esses países apresentaram seleções mais fortes. É mais fácil reunir os jogadores no sistema socialista para preparar a seleção nacional”, acrescenta o historiador. A geopolítica entrou em cena quando a Espanha de Franco perdeu nas quartas de final por se recusar a jogar contra a União Soviética comunista. “O futebol é vítima da guerra fria”, foi a manchete da AFP na época.

Oito, dezesseis, vinte e quatro

“A ironia do destino é que quatro anos depois, a Espanha derrota em Madri… a União Soviética (2-1). Conclusão: a partir do momento em que há títulos a serem conquistados, cresce a participação e todos os países se inscrevem”, diz o pesquisador, sorrindo. Itália e Inglaterra participaram das eliminatórias da Eurocopa de 1964 e a Alemanha Ocidental o fez para a edição de 1968, onde uma fase de grupos antecedeu as quartas de final, antes do ‘Final Four’.

Esse formato dura até 1976. Em 1980, na Itália, o torneio foi organizado pela primeira vez com oito seleções, sendo dois grupos de quatro seleções cujos vencedores avançavam à final. A Bélgica de Jean-Marie Pfaff e Jan Ceulemans chegou à sua única decisão em uma grande competição, eliminando a anfitriã Itália, mas perdeu para os alemães (2-1), com dois gols de Horst Hrubesch. Em 1996, na Inglaterra, o torneio é ampliado para 16 seleções e é a Alemanha quem vence a competição com sua nova fórmula, com um ‘golden goal’ contra a República Tcheca (2-1), marcado por Oliver Bierhoff, que já havia feito o primeiro gol alemão.

O número de seleções participantes foi elevado para 24 na edição de 2016 na França, onde os anfitriões perderam por 1 a 0 para Portugal de Cristiano Ronaldo na final. A Eurocopa de 2021, que ia ser disputada em 2020 por ocasião do 60º aniversário do torneio mas que foi adiada devido à pandemia de covid-19, terá a novidade de ser realizada em onze cidades de diferentes países europeus.

Todos os campeões da história da Eurocopa

1960 – União Soviética

1964 – Espanha

1968 – Itália

1972 – Alemanha Ocidental

1976 – Tchecoslováquia

1980 – Alemanha Ocidental

1984 – França

1988 – Holanda

1992 – Dinamarca

1996 – Alemanha

2000 – França

2004 – Grécia

2008 – Espanha

2012 – Espanha

2016 – Portugal


FECHAR