publicidade
11/05/21
Deschamps ganhou a última Copa do Mundo com a França. Foto: divulgação/FIFA
Deschamps ganhou a última Copa do Mundo com a França. Foto: divulgação/FIFA

Copa do Mundo e Euro não se vencem “com um estalar de dedos”, diz técnico da França

11 / maio
Publicado por Davi Saboya em Notícias às 6:27

AFP – Um titulo não é conquistado “com um estalar de dedos” já que “as outras equipes progridem, trabalham, não dormem”, afirmou à AFP o técnico da seleção da França, Didier Deschamps, a pouco mais de um mês do início da Eurocopa, onde sua equipe espera ser campeã, como foi na Copa do Mundo de 2018.

Por conta da conquista do Mundial na Rússia, os franceses estão entre os favoritos do torneio continental, a ser disputado entre 11 de junho e 11 de julho, embora estejam em um grupo difícil, ao lado de Alemanha, Portugal e Hungria.

LEIA MAIS

> Arena de Pernambuco e LaLiga se unem em acordo de cooperação técnica; veja os detalhes

> Juventus pode ser excluída do Italiano se permanecer na Superliga; entenda

> Neymar e PSG, um casamento movido por um objetivo comum

“Estar dois anos no mais alto nível, é uma façanha enorme, mas em relação à vida é pouco tempo… As expectativas são obviamente grandes pelo sucesso que temos alcançado. É o objetivo deste grupo desta geração”, respondeu Deschamps , questionado sobre as chances de conseguir mais um título.

“Não será possível apagar o que foi feito, isso é indelével, mas temos de dizer a nós próprios que não acaba aí, que há outras coisas a procurar”, acrescentou o treinador.

Conquistar títulos “não se faz num estalar de dedos. As outras equipes progridem, trabalham, não dormem. A ambição tem que estar presente. Quando começa uma competição, você quer ir o mais longe possível”, destacou o ex-jogador, que esteve em campo nas conquistas da Copa do Mundo de 1998 e da Euro 2000.

SEGUIR NO TOPO

“É muito difícil chegar ao nível mais alto. Mas é ainda mais difícil ficar. Você tem que se questionar. Você não pode ser superior, a qualidade está lá, mas às vezes eles  (os resultados) dependem de pequenas coisas”, frisou o técnico.

Desde a Copa do Mundo de 2018, a seleção da França sofreu apenas três derrotas em 28 jogos, apesar das mudanças táticas feitas nos últimos meses. O esquema 4-4-2, que funcionou na Rússia, foi substituído algumas vezes.

“Era hora de fazer isso. Isso me dá mais respostas, mas não há mais certezas. No futebol, não há, elas são rapidamente varridas. Tenho convicções, sei o que fazemos bem, temos recursos que nos levaram a um resultado. Podemos nos apoiar nisso, mas isso não garante que se repita “, acrescentou o treinador de 52 anos.

Em sua centésima partida no comando da equipe, em novembro de 2019, em Tirana (vitória por 2 a 0 sobre a Albânia), Deschamps montou uma linha de defesa com três zagueiros.

“Achei que era hora de abalar (costumes)”, respondeu, elogiando “a habilidade e inteligência” dos jogadores à sua disposição.

“Não foi para surpreender o adversário, não se deve surpreender a si mesmo”, acrescentou, lembrando “sempre as decisões tomadas a respeito de um grupo, de uma situação, de um adversário”.

Deschamps anunciará a lista dos jogadores convocados para a Eurocopa no dia 18 de maio, e no dia 26 começa a preparação da equipe no centro de treinamento de Clairefontaine, antes de dois amistosos contra o País de Gales, em 2 de junho em Nice, e a Bulgária, em 8 de junho no Stade de France.


FECHAR