publicidade
30/04/21
Alejandro Domínguez é presidente da Conmebol desde 2016. Foto: AFP
Alejandro Domínguez é presidente da Conmebol desde 2016. Foto: AFP

Conmebol vai entregar a federações nacionais vacinas doadas pela China contra a covid-19

30 / abr
Publicado por Davi Saboya em Notícias às 9:02

AFP – A Conmebol vai entregar as vacinas contra a covid-19 doadas pela China às suas 10 federações nacionais para distribuição entre seus associados, anunciou a entidade nessa quinta-feira.

O carregamento de 50 mil doses de vacinas da Sinovac chegou a Montevidéu na noite de quarta-feira, de onde serão distribuídas.

As federações “assumem a responsabilidade pelo seu uso correto e consequente prestação de contas”, disse um comunicado da Conmebol divulgado em sua página digital.

“As vacinas vão tornar as competições internacionais mais seguras”, destacou a Conmebol, apontando a Copa América-2021 na Argentina e na Colômbia e as copas Sul-Americana e Libertadores, que estão em disputa.

LEIA MAIS

> Marquinhos diz que PSG “tem o que precisa” para garantir vaga na final da Champions

> “Fomos mais agressivos sem bola no segundo tempo”, explica Guardiola sobre vitória do City em cima do PSG

> De Bruyne evita clima de “já ganhou” e minimiza vantagem do City diante do PSG na Champions

A entidade garantiu que desta forma se torna a primeira organização civil do mundo a promover uma campanha de imunização em massa.

A campanha da Conmebol chegará a milhares de jogadores, jogadoras, árbitros, técnicos e funcionários, que também terão o benefício em seu ambiente familiar.

As vacinas foram doadas pela empresa farmacêutica chinesa Sinovac Biotech Ltd.

O protocolo de vacinação desenvolvido garante que cada dose tenha “nome e sobrenome” sem a possibilidade de desvios para pessoas que não fazem parte do objetivo da campanha, esclareceu a Conmebol.

O secretário-geral da entidade e sua direção de Ética e Compliance acompanharão o processo e a posterior prestação de contas.

Caso se observem doses remanescentes, as associações beneficiadas deverão destiná-las a pessoas devidamente identificadas, com prévia anuência da Conmebol.

“O critério é que nenhuma vacina seja desperdiçada e que seja dada prioridade ao entorno do futebol”, disse a entidade.


FECHAR