publicidade
23/04/21
Aleksander Ceferin, presidente da UEFA. Foto: AFP
Aleksander Ceferin, presidente da UEFA. Foto: AFP

Presidente da Uefa diz que semifinais da Liga dos Campeões não estão ameaçadas

23 / abr
Publicado por Davi Saboya em Notícias às 9:04

AFP – O presidente da Uefa, o esloveno Aleksander Ceferin, afirmou que as semifinais da Liga dos Campeões, que começam na próxima semana, estão confirmadas, apesar de três equipes participantes estarem envolvidas na fracassada tentativa de criação da Superliga Europeia, competição que rivalizaria com o torneio organizado pela entidade que comanda o futebol no continente.

“Há relativamente poucas chances das partidas (das semifinais da Liga dos Campeões) não serem disputadas, mas no futuro será diferente”, disse o dirigente numa longa entrevista concedida na noite de quarta-feira à  Pop TV, uma emissora da Eslovênia.

LEIA MAIS

> Ibrahimovic renova com Milan até a temporada de 2022

> Presidente do Barcelona defende Superliga, mas pede diálogo

> Conmebol anuncia árbitros europeus para apitar pela primeira vez na Copa América

“O fundamental é que a temporada já começou. Se cancelarmos os jogos, as redes de televisão vão exigir indenização”, explicou.

A Uefa havia alertado as equipes fundadoras da Superliga (doze grandes times europeus) que elas poderiam ser excluídas de todas as competições nacionais e internacionais se levassem à frente a iniciativa.

Os ingleses Manchester City e Chelsea e o espanhol Real Madrid estão nas semifinais da atual Liga dos Campeões e participaram do grupo que anunciou a criação da competição independente.

Após a repercussão negativa da iniciativa, Manchester City e Chelsea divulgaram que não mais fariam parte do projeto.

Pelos jogos de ida das semifinais da Liga dos Campeões, o Real Madrid recebe o Chelsea na próxima terça-feira, enquanto o Manchester City vai à França encarar o Paris Saint-Germain, que não participou da criação da Superliga.

Ceferin, que apelou na quarta-feira à “reconstrução da unidade” no futebol europeu após estes dias de tensão, alertou os clubes dissidentes que “sofrerão as consequências” por sua iniciativa.

As seis equipes inglesas (incluindo também Manchester United, Arsenal, Tottenham e Liverpool) foram as primeiras a abandonar a nova liga, fato que será levado “em consideração por terem reconhecido o seu erro”, destacou o presidente da Uefa.

Mas os outros, “se quiserem participar das nossas competições, terão de nos contactar e nós teremos de resolver os problemas”, destacou Ceferin, acrescentando que o departamento jurídico da entidade foi consultado sobre o assunto.

Na entrevista, Ceferin voltou a criticar a “ganância” de certos dirigentes do futebol que participaram de uma “teoria da conspiração” num momento em que finalizava a reformulação da Liga dos Campeões para a temporada de 2024 e que foi aprovada na segunda-feira.

“Não conseguia acreditar que os meus interlocutores diários estivessem preparando outro projeto pelas nossas costas”, admitiu o esloveno.


FECHAR