publicidade
19/04/21
Umberto Louzer foi campeão da Série B de 2020 pela Chapecoense. Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem
Umberto Louzer foi campeão da Série B de 2020 pela Chapecoense. Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem

Da saída de bola até a falta de criatividade: os problemas que Umberto Louzer precisará ajustar no Sport

19 / abr
Publicado por Lucas Holanda em Notícias às 14:53

O técnico Umberto Louzer começa a treinar o Sport nesta terça-feira. E o que se sabe é que o novo treinador terá muito trabalho no Rubro-Negro. De início, o novo comandante vai precisar dar uma cara ao Leão, algo que a equipe não tem no momento – teve na Série A, mas perdeu. Eliminado de forma vexatória da Copa do Nordeste e Copa do Brasil, o Sport segue repetindo problemas rodada após rodada. Alguns, aliás, acompanham o Rubro-Negro desde a Série A de 2020. Portanto, seja lá qual for o estilo de jogo que Louzer vai adotar no clube, a missão será suprir essas lacunas no time.

Diante disso, a reportagem do Jornal do Commercio traz alguns pontos problemáticos do Sport, que vão desde a bola aérea até a falta de criatividade do time leonino – isto, aliás, já vem acompanhando desde a Série A do ano passado. São lacunas que o Leão precisa corrigir para tentar voltar a ser competitivo – ainda mais com a Primeira Divisão batendo na porta. A estreia de Louzer será no próximo sábado, diante do Retrô, pelo Campeonato Pernambucano.

DEFINIR QUEM É O GOLEIRO TITULAR

Luan Polli fez uma boa Série A pelo Sport, mas caiu bastante na atual temporada e, por conta disso, o time passou por mudanças no gol. Carlos Eduardo assumiu por um recorte da temporada e deu conta do recado, mas se machucou e vai demorar para voltar, o que fez Polli retornar à titularidade. No entanto, o arqueiro foi expulso e aí Maílson é quem assumiu a meta leonina – é o titular até aqui. Portanto, é importante que Louzer ajuste este ponto, seja definindo um desses como titular absoluto ou buscando uma peça no mercado. O Sport sondou Anderson, ex-Náutico e Santa Cruz, e que hoje está sem tanto espaço no Athletico Paranaense.

BOLA AÉREA PROBLEMÁTICA

Entre time principal, alternativo e um cheio de garotos, o Sport tomou 23 gols na temporada. E 11 desses foram originados de jogadas aéreas. Ou seja, é um grave problema do time. Na Série A do ano passado, aliás, o Leão conseguiu vencer jogos tendo a bola aérea como um grande ponto positivo e sendo determinante para os triunfos, tanto que os zagueiros Adryelson e Maidana se destacavam no quesito. No entanto, mesmo tendo mantido a dupla de zaga, o setor vem sendo um problema.

O ponto principal não está nos nomes da defesa, mas sim no encaixe. Claramente o modelo de marcação proposto por Jair Ventura e César Lucena não funcionaram até aqui. E aí é mais uma missão para Umberto Louzer, uma vez que times com problemas na bola aérea tendem a sofrer bastante para vencer os jogos, ainda mais se olharmos para a Série A do Campeonato Brasileiro, onde a maioria dos times são superiores ao Sport.

LEIA MAIS

Com gol do artilheiro Mikael, Sport bate Sete de Setembro pelo Pernambucano

Ouça os gols da vitória do Sport em cima do Sete de Setembro nas ondas da Rádio Jornal

Já no Recife, Umberto Louzer assume comando do Sport nesta terça-feira

SAÍDA DE BOLA

Talvez este seja o problema mais grave do Sport na temporada e é um grande impeditivo para o Rubro-Negro ser um time mais propositivo contra times mais fracos. Sem ter volantes que tenham característica para jogar com a bola, o Leão tem errado muito na hora de fazer a transição. E aí torna-se um time travado e pouco criativo. Já era um problema durante a Série A, mas o fato do Sport jogar de maneira mais reativa e ter menos a posse minimizava isso. Agora, tendo que tomar a iniciativa na maioria dos jogos, os volantes leoninos não estão demonstrando a qualidade necessária para ajudar neste quesito.

O ponto, claro, é que praticamente todos eles têm uma característica mais marcadora e de destruição das jogadas. Dos que mais jogam ali no setor, Betinho é a peça que mais tem qualidade para fazer essa saída de bola melhorar. No entanto, não consegue ser regular e não vive um momento por ali. Marcão e Ronaldo, outros que também mais atuam, são mais úteis na marcação. Sem tanto espaço, Ricardinho é outro que não consegue ter essa boa saída de bola regular e com qualidade, assim como Márcio Araújo. Zé Welison e Rentería, que ainda não estrearam, são duas peças que também têm a marcação como principal característica.

Sem essa boa saída de bola, o Sport fica travado. E não apenas pelo meio, uma vez que tentar sair jogando com os laterais também não vem funcionando até aqui.  Sendo assim, a tendência é de que Umberto Louzer peça ao menos um segundo volante para jogar por ali e melhorar este quesito. Outra alternativa, pelo menos contra times mais fracos, seria recuar Thiago Lopes e jogar como segundo volante, assim como foi no Coritiba do próprio Umberto Louzer, em 2019.

FALTA DE CRIATIVIDADE

Este é um problema que acompanhou o Sport desde a Série A do ano passado e provavelmente está relacionado com o ponto acima apontado na reportagem: a saída de bola. Até aqui, mesmo tendo mais a bola, o Leão não consegue ser criativo com regularidade. E isso é um ponto que o técnico Umberto Louzer vai precisar ajustar na equipe. Apesar de ter usado uma formação ousada na maioria dos jogos, com um meia e três atacantes, o Rubro-Negro sofre para criar jogadas, apesar da posse de bola ser maior na maioria dos jogos.

Há um problema de encaixe e no modelo de ataque do Sport na temporada, algo que também se repetiu na Série A do ano passado. No seu último trabalho, Umberto Louzer não adotava uma Chapecoense tendo um modelo mais propositivo, porém muito eficiente na hora da construção das jogadas e também na conclusão. Portanto, o comandante terá que encontrar o melhor encaixe para as peças do Sport tanto no aspecto individual como no coletivo.

Um dos caminhos poderia ser recuar o meia Thiago Lopes para segundo volante, colocando Gustavo e Thiago Lopes na criação, e Neilton e Mikael na dupla de ataque. Este desenho poderia, em tese, deixar o Sport mais propositivo e com um maior volume ofensivo, sobretudo contra times mais fracos tecnicamente.

DEFINIR O CENTROAVANTE TITULAR

Artilheiro do Sport na temporada, o prata da casa Mikael vem pedindo passagem no time titular. No entanto, César Lucena optou por Santiago Tréllez nas últimas partidas, mesmo com o colombiano em má fase e Mikael em alta. Portanto, este é mais um ponto para Louzer ajustar no time, tendo o prata da casa em vantagem até aqui.


FECHAR