publicidade
18/04/21
Uefa planeja receber público reduzido na Eurocopa. Foto: AFP
Uefa planeja receber público reduzido na Eurocopa. Foto: AFP

Presidente da Federação Espanhola aponta Sevilha como alternativa a Bilbao para Eurocopa

18 / abr
Publicado por Davi Saboya em Futebol Internacional às 8:12

AFP – O presidente da Federação Espanhola de Futebol (RFEF), Luis Rubiales, afirmou na sexta-feira que “fará o que for humanamente possível” para que Sevilha seja a sede espanhola da Eurocopa, se Bilbao acabar sendo descartada nesta segunda-feira na reunião da Uefa.

“O que está claro para nós como seleção, eu diria que como país, é que manter a sede é essencial”, disse Rubiales em um evento informativo em Sevilha, para apresentar a final da Copa do Reo que será disputada no sábado na capital andaluza, entre Athletic Bilbao e Barcelona.

“É verdade que existem sérias dificuldades em Bilbao e, por isso, é a Uefa quem tem que decidir”, disse o presidente da RFEF, referindo-se às condições impostas pelo governo regional basco para receber o público no estádio de San Mamés.

LEIA MAIS

> Em recuperação, jogador do Arsenal afirma ter contraído malária

> Jogos de ida das semifinais da Champions League acontecem nos dia 27 e 28 de abril

> Policial dispara tiro no campo após confusão em jogo no Mato Grosso do Sul

Rubiales manifestou seu respeito pelo trabalho realizado por Bilbao, “mas é verdade que as dificuldades são muitas, a Uefa já o expressou e se isso acontecer, seria fatal que fosse transferido para outro país”.

“Vou fazer tudo o que estiver humanamente ao meu alcance para que na comissão executiva na próxima segunda-feira, o que for decidido não prejudique a Espanha, portanto, que a sede permaneça na Espanha e, claro, (o estádio sevilhano de) La Cartuja é um lugar magnífico”, disse Rubiales.

O presidente da RFEF, também vice-presidente da Uefa, insistiu que “não depende de nós” e anunciou que não vai votar se houver qualquer consulta a este respeito.

Mas, ele insistiu que “estou fazendo o que é humanamente possível para que a Espanha não perca as três partidas da fase de grupos e uma das oitavas”, não só por causa do valor do ponto de vista econômico, mas por causa do que “significa afetivamente para nossa seleção poder jogar diante de nosso público”.

“Faremos todo o possível para que a sede fique na Espanha. La Cartuja é um lugar magnífico, mas quando chegar essa ponte vamos atravessá-la”, concluiu Rubiales.


FECHAR