publicidade
01/04/21
Revelado pelo Sport, o meia Leozinho está de volta ao futebol pernambucano para atuar no Vitória das Tabocas. Foto: Acervo Pessoal
Revelado pelo Sport, o meia Leozinho está de volta ao futebol pernambucano para atuar no Vitória das Tabocas. Foto: Acervo Pessoal

Revelado pelo Sport, Leozinho retorna ao futebol pernambucano após mais de 10 anos na Europa

01 / abr
Publicado por Lourenço Gadêlha em Notícias às 15:03

“Estar perto da família”. Foi com esse pensamento que o meia Leandro Sales de Santana, conhecido como Leozinho, definiu sua volta ao futebol pernambucano após mais de 10 anos jogando na Europa. Revelado em 2004 como uma promessa no Sport, onde inclusive chegou a ser convocado para integrar a Seleção Brasileira sub-20 na disputa de um torneio no Japão ao lado de figuras como Diego Souza e Rafinha, ambos no Grêmio atualmente, o atleta de 35 anos acertou com o Vitória das Tabocas para a disputa do Estadual. Em conversa com a reportagem do Jornal do Commercio, Leozinho falou sobre o início da carreira no Leão, os anos atuando no velho continente, as expectativas em relação ao retorno e a chance de ‘recomeçar’ no futebol em solo nacional.

>> Cria da base do Sport, Leozinho reencontra Leão na estreia pelo Vitória-PE

“Um dos motivos que me fez acertar com o Vitória foi estar perto da minha família. Tive outras propostas, teve sondagem do Brasil, mas era distante, não queria ficar longe da minha família. Então meu objetivo era estar perto da família. Vou e volto todo dia para Vitória de Santo Antão. Acredito que se fizer um bom trabalho, as coisas no futebol mudam muito rápido. Acredito que com um bom desempenho posso voltar para a Europa ou voltar à jogar num time grande aqui no Brasil”, projetou.

LEIA MAIS:

>> Copa do Nordeste no SBT: TV Jornal dá show de transmissão no Clássico das Multidões

>> Fique por dentro da Copa do Nordeste

>> Com gol de pênalti nos acréscimos, Sport vence o Santa Cruz pela Copa do Nordeste

>> Veja os gols de Santa Cruz 1×2 Sport pela Copa do Nordeste

O início

A história de Leozinho com o futebol começou cedo, quando atuava no futsal do Sport ainda adolescente. Apesar de já estar dentro de um clube tradicional do Recife, o jovem, assim como tantos outros, tinha o sonho de migrar para o campo e realizar o sonho de ser um jogador profissional. Até que num certo dia, em um torneio de várzea conhecido como peladão Alto Astral, surge então a primeira oportunidade, que, posteriormente, se desenvolveu de uma forma muito rápida, como define o próprio jogador.

“Neco, que era o treinador do juniores do Sport, me viu no peladão e me levou para jogar campo. Já jogava futsal no Sport e fui para o júnior com Neco. As coisas aconteceram muito rápido. Menos de um ano e eu tinha subido pro profissional. Subi muito novo, com 16 anos. Fiz um trabalho de fortalecimento muscular, tive algumas oportunidades no time profissional”.

Léo Pernambuco, como era conhecido na época, em campo pelo profissional do Sport. Foto: Acervo Pessoal

A ascensão meteórica ao profissional rendeu, inclusive, uma chance na Seleção Brasileira sub-20 para jogar ao lado de um jovem chamado Diego, que estava surgindo no futebol, e anos depois viria a se tornar ídolo do próprio Sport. Na ocasião, Leozinho foi convocado pelo técnico René Weber como Léo Pernambuco. A seleção ainda tinha outros nomes conhecidos como o goleiro Renan (ex-Internacional), o lateral-direito Rafinha (Grêmio) e o lateral-esquerdo Fábio Santos (Corinthians). “Joguei seleção de base através do Sport, na seleção sub-20. Minha geração é a do Diego Souza, Rafinha, e a gente foi campeão juntos lá no Japão, no torneio de Shizuoka”, contou.

Léo Pernambuco foi convocado pelo técnico René Weber para jogar na Seleção Brasileira sub-20 na companhia de Diego Souza. Foto: Acervo Pessoal

Grécia

Depois da Seleção Brasileira sub-20, retornou ao Sport, seguiu por empréstimo para o Vasco e, após um ano, voltou mais uma vez ao clube pernambucano. Com poucas oportunidades, acabou seguindo para a Europa, onde fez toda a carreira, inclusive jogando ao lado de um ídolo do futebol brasileiro.

“Quando saí do Brasil, fui embora para o Olympiakos, da Grécia e já não voltei mais. Ainda passei pela Alemanha e pela Turquia por pouco tempo. Tive oportunidades de ir para outros países, mas não deu certo. Minha carreira na Europa foi basicamente nesses três países, sendo 80% do período na Grécia. A parte do futebol foi muito boa por ter ido pro Olympiakos, que é um time grande no país e ter tido a oportunidade de conhecer e jogar com o Rivaldo, além de alguns jogadores muito importantes, já que o time jogava a Champions League”, relatou.

Na Grécia, além do Olympiakos, atuou também pelo Larissa, Panseirraikos, Apollon Kalamarias, Iraklis e PAE Chania. No país, inclusive, viveu por 13 anos. “Experiência no geral foi muito positiva. A cultura do país é indiscutível. Minha filha se alfabetizou lá, fala grego, escreve.. Então foi um país que trato como minha segunda casa, que eu e minha família gostamos muito e por isso passamos tanto tempo lá na Grécia”, acrescentou Leozinho.

Leozinho atuando na Grécia.

A volta

A volta para casa depois de tanto tempo não significa dizer que o jogador vai se aposentar. Pelo contrário. Leozinho acredita ainda condições de jogar por alguns anos, seja no futebol brasileiro, onde pretende “recomeçar”, ou no continente europeu, onde construiu toda a sua carreira. “Ainda tenho mais uns anos de carreira. Encaro essa volta como um recomeço no futebol brasileiro. Tive outras oportunidades de voltar para a Europa, mas devido as restrições de alguns países e o fato de ter que ficar em quarentena, acabou não dando certo. Ainda vou jogar mais uns anos. Nunca tive problemas com lesões graves, estou bem fisicamente. Como passei muito tempo fora do país, projetei ficar mais por aqui pra recomeçar e ficar mais perto da família também”, afirmou.

E neste retorno, por ocasião do destino, a estreia pelo Vitória das Tabocas pode acontecer justamente contra o Sport, clube que o revelou para o mundo do futebol. A partida entre as equipes está marcada para o dia 14 de abril, na Ilha do Retiro. “Expectativa é a melhor possível. Já faz quase um mês que estou no Vitória treinando. Estou bem fisicamente e agora é só ritmo de jogo que preciso.  Se tiver a oportunidade, seria muito bom reestrear contra o Sport. Praticamente já estou adaptado ao futebol brasileiro novamente e se tiver uma oportunidade, espero fazer uma grande partida e quem sabe fazer um gol. Seria muito importante”, projetou, antes de destacar as expectativas com o Tricolor das Tabocas no Campeonato Pernambucano.

“Expectativa desde o início foi a gente lutar na parte de cima da primeira fase. O time não tinha começado bem, teve alguns percalços no início da competição, mas conseguimos uma vitória por 2×1 contra o Sete de Setembro. Vai ser difícil, mas acho que a gente pode brigar na parte de cima da tabela. Esse é o objetivo desse ano para na próxima temporada o time ter calendário. Acredito que o objetivo é buscar uma Série D. Não começamos bem, mas depois da vitória de hoje, acredito que temos tudo para atingir o objetivo”, finalizou Leozinho.


FECHAR