publicidade
22/02/21
Atualmente, Kevyn é o único lateral-esquerdo do elenco alvirrubro. 
 Foto: Luiz Neto/Confiança
Atualmente, Kevyn é o único lateral-esquerdo do elenco alvirrubro. Foto: Luiz Neto/Confiança

Náutico nega que deve salários ao lateral-esquerdo Kevyn

22 / fev
Publicado por Carolina Fonsêca em Náutico às 17:26

Por meio de nota oficial e também do seu vice-presidente Jurídico, o Náutico negou que deve salários ao lateral-esquerdo Kevyn. Na última sexta-feira (19), o jogador conseguiu na Justiça uma liminar garantindo a rescisão indireta do contrato com o clube, devido ao suposto atraso de salários. O vínculo de Kevyn com Timbu iria até o fim do ano.

A decisão da juíza Marília Leal Montenegro Spinelli aconteceu na última sexta-feira e, de acordo com a nota oficial publicada pelo Náutico, o clube foi surpreendido com a liminar na manhã desta segunda-feira (22). Bruno Becker, vice-presidente Jurídico do Timbu, afirmou, em entrevista ao repórter Antonio Gabriel, da Rádio Jornal, que o advogado do jogador menciona no processo salários em aberto dos meses de novembro e dezembro de 2020 e janeiro de 2021, além de 13º e FGTS. No entanto, o vice-presidente reconheceu que existem débitos de parte do 13º e que havia também de FGTS, que foram quitados nesta segunda-feira (22). Na decisão, a juíza do caso alega atrasos nos salários dos meses de novembro, dezembro e janeiro e 13º, além de outro atraso nos seis meses no recolhimento do FGTS.

“É uma reclamação trabalhista que não trata corretamente a verdade dos fatos”, garantiu Becker. “O clube Náutico não tem nenhum débito com Kevyn em relação aos salários de novembro, dezembro e janeiro ou qualquer outro salário anterior a esse período. O que existe é um débito em relação a 5/12 do 13º salário que compreende o valor de R$ 1.910,96 e valores em abertos do FGTS que foram quitados na data de hoje (segunda-feira, 22), no valor de R$ 2.439,91. Também quero destacar que fora isso não há nenhum débito do clube com premiação”, detalhou.

LEIA MAIS

> Alegando atrasos salariais e não recolhimento de FGTS, Kevyn consegue liminar para rescindir com o Náutico

> Após um ano parado, Matheus Carvalho festeja retorno aos gramados em jogo-treino do Náutico

> Hélio dos Anjos quer o Náutico mais confiante e garante time preparado para o Pernambucano

Com a camisa do Náutico, Kevyn disputou 20 partidas na Série B, mas só conseguiu sequência com Hélio dos Anjos. Como jogador terminou a temporada em boa fase, o Timbu não iria ao mercado para contratar um lateral-esquerdo neste início de temporada, usando Kevyn como titular e outras improvisações eventualmente. No entanto, a tendência é de que o Náutico vá ao mercado após essa ação do jogador. Segundo apuração dos repórteres João Victor Amorim e Antônio Gabriel, ambos da Rádio Jornal, Kevyn tem proposta de outro clube da Série B.

Em agosto de 2020, Kevyn chegou ao Náutico para a disputa da Série B. Na ocasião, o atleta recebia R$ 4 mil por mês. No entanto, o jogador, que antes era reserva, passou a ser titular em novembro com Hélio dos Anjos. A partir daí, o salário aumentou para R$ 5 mil. De acordo com a ação, que foi aceita pela juíza, os atrasos salariais começaram aí.

Por meio de nota, o Náutico voltou a alegar que não possui salários em abertos com o jogador ou com qualquer outro atleta do elenco.

Ainda de acordo com Bruno Becker, o Náutico vai entrar com a medida jurídica cabível, no mais tardar até a terça-feira (23) para reverter a situação. “Tenho certeza absoluta que essa decisão vai ser revogada e espero que o atleta junto com seu empresário compreendam que o futebol atual mudou, que a forma de se relacionar, conduzir os negócios não comporta mais esse tipo de subterfúgio. Eu lembro a todos o caso de Odilávio que tentou usar de artifícios para romper o vínculo com o clube e não teve êxito”, completou Becker.

Mais dois jogadores acionam o Náutico na Justiça

Além de Kevyn, o goleiro Marcão e o zagueiro Rafael Dumas também entraram na Justiça contra o Náutico, alegando atrasos salariais e não recolhimento de FGTS. Os dois jogadores  fizeram parte do elenco alvirrubro em 2020, embora tenham sido utilizados poucas vezes durante a temporada. A ação de Marcão cobra ao clube R$ 60 mil, enquanto a de Dumas tem um valor de quase R$ 75 mil. Juntas, as ações somam quase R$ 135 mil.

Veja a nota oficial do Náutico

“O Clube Náutico Capibaribe foi surpreendido, na manhã desta segunda-feira (22), com uma liminar, expedida pela Justiça do Trabalho, que rescinde o contrato com o lateral Kevyn, alegando possíveis salários atrasados.

Ressaltamos que o Náutico não possui salários em aberto com Kevyn ou qualquer outro atleta do elenco. Esta gestão, que assumiu o clube em janeiro de 2018, vem lutando desde então para honrar com todos os compromissos com o elenco e vem conseguindo de maneira exitosa. O último vencimento em aberto, referente ao mês de janeiro, foi pago na primeira quinzena deste mês. O que há pendente, por parte do clube, é o pagamento de 5/12 referente ao 13° de 2020. Os depósitos do FGTS, que estavam em atraso, foram quitados nesta segunda-feira.

Kevyn retornou ao Náutico em agosto de 2020. Nos Aflitos, o lateral encontrou as portas abertas para resgatar o seu futebol e vinha conseguindo alcançar tal objetivo. O caso, agora, será avaliado pelo departamento jurídico do Náutico, que irá recorrer da decisão.”


FECHAR