publicidade
22/02/21
Kevyn é o único lateral-esquerdo do elenco do Náutico. Foto: Bobby Fabisak/JC Imagem
Kevyn é o único lateral-esquerdo do elenco do Náutico. Foto: Bobby Fabisak/JC Imagem

Alegando atrasos salariais e não recolhimento de FGTS, Kevyn consegue liminar para rescindir com o Náutico

22 / fev
Publicado por Lucas Holanda em Náutico às 12:54

POR LUCAS HOLANDA E LOURENÇO GADÊLHA – 

Bronca para o Náutico. Único lateral-esquerdo do elenco, Kevyn conseguiu uma liminar garantindo a rescisão de contrato com o clube na Justiça. O vínculo do jogador com o Timbu, aliás, iria até o fim do ano. A decisão da juíza Marília Leal Montenegro Spinelli aconteceu na última sexta-feira, justamente um dia antes do jogo-treino entre Náutico x Botafogo-PB, nos Aflitos. A curiosidade, no entanto, é que o lateral-esquerdo atuou no amistoso.

Na decisão, a juíza do caso alega atrasos nos salários dos meses de novembro, dezembro e janeiro e 13º, além de outro atraso nos seis meses no recolhimento do FGTS. Em agosto de 2020, Kevyn chegou ao Náutico para a disputa da Série B. Na ocasião, o atleta recebia R$ 4 mil por mês. No entanto, o atleta, que antes era reserva, passou a ser titular em novembro com Hélio dos Anjos. A partir daí, o salário aumentou para R$ 5 mil. De acordo com a ação do jogador, que foi aceita pela juíza, os atrasos salariais começaram aí.

Com a camisa do Náutico, Kevyn disputou 20 partidas na Série B, mas só conseguiu sequência com Hélio dos Anjos. Como jogador terminou a temporada em boa fase, o Timbu não iria ao mercado para contratar um lateral-esquerdo neste início de temporada, usando Kevyn como titular e outras improvisações eventualmente. No entanto, a tendência é de que o Náutico vá ao mercado após essa ação do jogador. Segundo apuração dos repórteres João Victor Amorim e Antônio Gabriel, ambos da Rádio Jornal, Kevyn tem proposta de outro clube da Série B.

Náutico

A reportagem do Jornal do Commercio procurou o vice-jurídico do Náutico, Bruno Becker, que afirmou que o clube vai recorrer da decisão de forma imediata. “Embora o clube não tenha sido formalmente notificado da liminar, nós já estamos reunindo toda a documentação para entrar com um pedido de reconsideração da própria juíza para que ela revogue a liminar”, afirmou Bruno Becker, que completa afirmando que o Timbu não está devendo salários.

“Diferentemente do que colocou Kevyn na reclamação trabalhista, o clube não está devendo salários. O Náutico deve algum valor em relação a 13º salário e valores também de FGTS, que por si só não é motivo para rescisão indireta. Com muita calma e serenidade vamos entrar com um pedido de reconsideração para reverter isso ainda essa semana”, explicou. “Não tenho esse dado ainda em mãos (em relação ao tempo de atraso do FGTS). Mas já há várias decisões no sentido de que atraso de FGTS não é motivo por si só de rescisão indireta”, finalizou.


FECHAR