publicidade
12/01/21
Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem
Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem

Em partida truncada e de poucas chances, Náutico fica no 0x0 com o América-MG

12 / jan
Publicado por Klisman Gama em Náutico às 21:17

Um jogo sem grande inspiração por parte das duas equipes. Apesar disso, muita briga pela bola no meio de campo, aplicação tática, pouca capacidade criativa e chances escassas marcaram o que foi o duelo entre Náutico e América-MG, que não saíram do 0x0 no estádio dos Aflitos. Com isso, o Timbu se manteve na 15ª colocação da Série B, com 39 pontos, enquanto o adversário conquistou o acesso para a Primeira Divisão. Agora o Alvirrubro seca Vitória e Figueirense para não entrar na zona de rebaixamento de novo. Na próxima rodada, o compromisso é contra a Ponte Preta, em Campinas-SP, às 16h.

O jogo

O primeiro tempo da partida reuniu pouquíssimas chances de gol. Os goleiros não tiveram que fazer grandes intervenções, mas alguns pontos foram interessantes de se observar. O Náutico não se amedrontou diante do adversário, tecnicamente superior. O Timbu iniciou o jogo com a marcação alta, pressionando a saída de bola, e tentou ocupar o campo ofensivo. Desta forma, após o América-MG dar um chutão e a defesa do Náutico rebater, Kieza ganhou a bola nas costas da zaga e saiu cara a cara com o goleiro Matheus Cavichioli. O centroavante driblou o arqueiro, mas perdeu o ângulo e tocou para Jean Carlos, que finalizou pensado com o marcador adversário, que cortou.

Com o passar do tempo, o Coelho se impôs. Ocupou o campo do Alvirrubro, que baixou suas linhas de marcação e esperava pelo contra-ataque. Porém, como os mineiros diminuíram os espaços da saída de bola pernambucana, o Náutico buscou lançamentos sem efetividade. Enquanto isso, quando recuperava a posse, o América-MG teve dificuldades de quebrar a marcação do Timbu, bem postada na frente da área. A tônica do primeiro tempo foi essa: muita briga pela bola, espaços reduzidos para trabalhá-la e chances muito escassas.

Segundo tempo

A etapa final veio com o Náutico intenso. Mesmo com a marcação adversária bem encaixada, o Timbu brigou por espaços com trocas de passe rápidos ou na jogada individual. Em duas boas oportunidades, aos sete e aos nove minutos, com Dadá Belmonte e Jean Carlos, a defesa do América-MG cortou cruzamentos rasteiros já na pequena área, antes de aparecer algum atleta alvirrubro para escorar ao gol.

No mesmo ritmo do primeiro tempo, o jogo voltou a ficar truncado, com poucos espaços para as equipes criarem jogadas. Querendo a vitória, o Náutico passou a buscar mais o ataque. Subiu suas linhas de marcação mas, quando tinha a posse, não conseguia ser criativo. O time veio criar uma chance aos 25, quando Jean Carlos cobrou falta para a área e Kieza, de cabeça, mandou para fora. Aos 27 o Coelho desperdiçou uma oportunidade clara, após Ademir cruzar rasteiro e Neto Berola, livre de marcação na área, furar o chute.

Aos 36, aproveitando corte da defesa mineira, Jean Carlos emendou um “sem pulo”, de primeira, e a bola passou por cima da meta. Aos 42, em cobrança de escanteio, Rafael Ribeiro se livrou da marcação e conseguiu o cabeceio, mas mandou para fora. Mas aos 47 minutos o Alvirrubro perdeu a chance mais clara do segundo tempo. Jorge Henrique recebeu de Ruy, saiu na cara de Matheus Cavichioli e bateu em cima do goleiro.

Mesmo com a pressão no final da partida, o Náutico não conseguiu se sobressair diante do América-MG. Por outro lado, o saldo da partida foi bastante positivo. Diante do líder e cheio de desfalques, a equipe conseguiu se manter sólida defensivamente, foi intensa, agressiva, e se manteve somando pontos, que é o mais importante nessa briga contra o rebaixamento.

Ficha do jogo

Náutico

Anderson; Bryan, Rafael Ribeiro, Camutanga e Kevyn; Rhaldney, Renan Foguinho (Jhonnatan) e Jean Carlos (Ruy); Dadá Belmonte (Jorge Henrique), Kieza e Erick. Técnico: Hélio dos Anjos.

América-MG

Matheus Cavichioli; Daniel Borges (Joseph), Messias, Anderson e João Paulo (Lucas Luan); Zé Ricardo, Juninho (Marcelo Toscano) e Alê; Ademir (Léo Passos), Felipe Augusto (Neto Berola) e Rodolfo. Técnico: Lisca.

Local: Estádio dos Aflitos. Cartões amarelos: Camutanga, Kevyn, Rhaldney e Jhonnatan (NAU); João Paulo e Neto Berola (AMG). Árbitro: Douglas Schwengber da Silva (RS). Assistentes: Rafael da Silva Alves e André da Silva Bittencourt (ambos RS).


FECHAR