publicidade
21/12/20
Náutico, de Hélio dos Anjos, está na luta para evitar queda para Série C. Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem
Náutico, de Hélio dos Anjos, está na luta para evitar queda para Série C. Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem

Técnico do Náutico acredita que ”mais vibração” contribuiu para recuperação na Série B

21 / dez
Publicado por Robert Sarmento em Sem categoria às 7:30

Com uma sequência de três vitórias em casa, além de ter conquistado dois empates considerados bons como visitante, o Náutico conseguiu se recuperar na tabela da Série B e depois de um período de resultados ruins, que ocasionou a saída do técnico Gilson Kleina. Em nove jogos com Hélio dos Anjos à beira do gramado, a equipe conquistou 12 pontos dos 27 possíveis. O aproveitamento pode não ser dos melhores, mas o desempenho dos atletas agrada o comandante alvirrubro e o time está com a confiança em alta e vivo na luta contra o rebaixamento.

‘’Eu tenho que assumir a responsabilidade do grupo que já está formado e tentar recuperar os jogadores. Eu acho que todos estão tendo uma crescente muito grande tecnicamente. Mérito deles. Estão atendendo aos meus anseios. Eu cobro demasiadamente, pois é a minha característica, mas eu cobro dando confiança’’, afirmou Hélio dos Anjos.

RAÇA E TÉCNICA

Com 32 pontos na tabela, o Timbu não disputa mais só com Paraná e Figueirense. Os também nordestinos CRB e Vitória também foram puxados para a briga contra a degola. Pelo fato do Oeste-SP ter apenas 19 pontos, pode se considerar que restam três vagas que ninguém quer ocupar, mesmo com o clube paulista tendo chances matemáticas de escapar da Série C. Os números recentes podem dar mais ânimo ao Náutico e um dos fatores mais trabalhados por Hélio dos Anjos é justamente a raça dos jogadores.

LEIA MAIS

> Elenco do Náutico enaltece importância de Hélio dos Anjos em reação na Série B

> Hélio elogia desempenho do Náutico no segundo tempo contra o Sampaio Corrêa

> Náutico avança para final da Copa do Nordeste Sub-20 e vai disputar título contra o Fortaleza

‘’O vestiário é pra ser usado. Eu tenho uma personalidade muito forte. Sei o momento que eu tenho que fazer. aos poucos , estou conhecendo o meu grupo. Eu sei que aguentam a cobrança e reagem. Nós crescimentos nos desenvolvimento, nas movimentação e a melhora da parte técnica e tática foi por causa da vibração, participação e acreditar mais’’, concluiu o treinador.


FECHAR