publicidade
01/12/20
Eleições do Sport só vão acontecer em 2021. Foto: Arnaldo Carvalho/ JC Imagem
Eleições do Sport só vão acontecer em 2021. Foto: Arnaldo Carvalho/ JC Imagem

Da antecipação para a realização apenas em 2021: um passo a passo sobre as eleições do Sport

01 / dez
Publicado por Lucas Holanda em Notícias às 15:37

A condução do processo eleitoral do Sport foi de idas e vindas. De uma possível antecipação para novembro, o pleito só vai acontecer agora em março de 2021, após o Conselho Deliberativo votar pelo adiamento. Diante deste cenário, a reportagem do Jornal do Commercio construiu uma linha do tempo com os acontecimentos eleitorais do clube rubro-negro. Os fatos vão desde a uma antecipação, noticiada em agosto, até o martelo batido para o adiamento das eleições, que só vão ocorrer em março do ano que vem, no mês seguinte ao término da Série A.

POSSÍVEL ANTECIPAÇÃO

No dia 26 de agosto, durante o programa Bate Rebate, da Rádio Jornal, o comentarista Ralph de Carvalho noticiou que o pleito do Sport, então marcado para o dia 18 de dezembro, poderia ser antecipado para novembro. E a informação noticiada no fim de agosto foi confirmada pelo presidente Milton Bivar no dia 9 de setembro, também durante o programa Bate Rebate, apresentado pelo comentarista. Além de confirmar que o pleito iria ser antecipado, Bivar também disse que não seria candidato à reeleição, mas que o grupo lançaria um nome. Veja alguns trechos do que o então presidente leonino falou.

“Vai ter sim (a antecipação), porque é uma coisa que já está na mudança do nosso estatuto e é uma coisa muito salutar. O calendário aumentou muito em termos de competições e você é eleito na segunda quinzena de dezembro, assume no dia primeiro de janeiro e dia nove já tem jogo. Não tem condições nenhuma de se preparar principalmente no aspecto físico dos atletas para que a gente possa enfrentar todo o calendário. (…) Acredito que, com a antecipação de um mês, o sujeito terá mais tempo para trabalhar e tenha o mês de dezembro para dar a sua cara para o que pensa sobre o futebol no clube. Faz a eleição e a chapa eleita assume 10 dias depois. Não estou pensando em reeleição”, disse Milton Bivar no dia 9 de setembro em entrevista à Rádio Jornal.

“Eu não tenho um nome, mas tenho um perfil. E o perfil é parecido com a nossa filosofia, com coragem e pé no chão para fazer um time relativamente barato e que você possa ir pagando sem criar débitos e ir amortizando dívidas aos poucos e se for entrar gente e a mesma filosofia anterior não adiantou nada, para que foi todo aquele sacrifício da gente para voltar para a Série A? Tanto trabalho encaminhado, principalmente esse ano também, a gente tá levando cacete, todo mundo querendo jogador e a gente falando ‘não pudemos’. Não é o fato de ter o cartão de crédito que podemos usar até o limite, mas temos que usar com pés no chão e eu vejo muita cobrança em cima da gestão, contrata jogador e gasta porque ano que vem tem uma receita de 40 milhões, essa brincadeira aí foi o que lascou o clube”, encerrou Milton Bivar durante a entrevista à Rádio Jornal, falando sobre o perfil do candidato da situação.

PEDIDO FORMALIZADO PARA ANTECIPAÇÃO

No dia 15 de setembro, o Sport formalizou um pedido de antecipação junto ao Conselho Deliberativo para que o órgão definisse uma data e convocasse uma Assembleia Geral para bater o martelo sobre a antecipação através de uma votação online. A requisição, aliás, partiu do próprio presidente Milton Bivar, que, na época, abriu mão de terminar o mandato que iria até janeiro, para que a nova direção eleita pudesse fazer esta transição durante a Série A, que só termina em fevereiro de 2021, por conta da pandemia do novo coronavírus.

SEM ANTECIPAÇÃO E ELEIÇÃO MARCADA PARA DEZEMBRO

No dia 2 de outubro, em entrevista ao Jornal do Commercio, o vice-presidente do Conselho Deliberativo do Sport, Ricardo Sá Leitão, afirmou que a antecipação não iria acontecer e que o pleito seria realizado no dia 18 de dezembro, data original das eleições do Sport. Na época, outra discussão era de como seria feita a votação para eleger a nova chapa do Sport. Entre as opções, a eleição online ganhava força como uma via para a realização. Veja o que Ricardo falou no dia 2 de outubro ao JC.

“Como existe uma procura muito grande para viabilizar a votação virtual em uma assembleia, além da auditoria que é necessária conter nesse processo, foi ponderado que não havia tempo hábil para votar a antecipação e posteriormente fazer uma eleição. Além disso, o presidente Milton Bivar achou melhor não antecipar o pleito para não gerar nenhum desgaste ou polêmica e outras chapas trabalharem os respectivos nomes. Assim, a atual gestão terminará no tempo normal”, disse vice-presidente do Conselho Deliberativo do Leão.

MILTON BIVAR DIZ QUE SERÁ CANDIDATO À REELEIÇÃO

No dia 10 de novembro, por meio de um comunicado publicado no site oficial do Sport, o então presidente Milton Bivar confirmou que seria candidato à reeleição, tendo em Manuel Veloso o seu candidato à vice-presidência do clube. “Apesar de afadigado, Milton atendeu ao apelo de vários grupos rubro-negros para sua permanência e da sua gestão íntegra, que vem sendo feita no Clube para que o Sport possa ressurgir administrativa e financeiramente nos próximos anos. Além de assumir esse compromisso, o presidente assume a renovação de quadros e a inclusão de jovens competentes, que terão mentoria para seguir nos principais cargos do Clube e, assim, atingir a tão desejada renovação no Sport”, diz um trecho da nota que está no site oficial do Sport.

LEIA MAIS

Saiba quem pode e quem não pode jogar pelo Sport contra o São Paulo

Candidato a presidente do Sport, Nelo Campos diz que equipe jurídica está estudando decisão de adiar eleição

Após vazamento de áudios, presidente em exercício do Sport extingue vice-presidência de torcidas

ELEIÇÕES EM JANEIRO

No dia 11 de novembro, o vice-presidente do Conselho Deliberativo, Ricardo Sá Leitão, confirmou ao Jornal do Commercio que as eleições do Sport iriam acontecer em janeiro de 2021, juntamente com a votação do novo estatuto do Leão. Na época, o motivo do adiamento do pleito era por conta de um decreto que proibia assembleias presenciais nas associações até 31 de dezembro. Veja o que disse Ricardo ao JC no dia 11 de novembro.

“Autorizamos a postergação para a primeira semana de janeiro. A ideia da Executiva é fazer no dia 04 de janeiro. Deve ser essa a data. Deixamos a autorização até o fim da primeira semana, embora haja essa previsão para o dia 04, para prevenir algum contratempo. Só foi para o Conselho porque havia um pedido de prorrogação. De poucos dias, é verdade, mas o Estatuto reza que se façam eleições até o fim de dezembro, então, era necessária essa autorização”, disse Ricardo.

“O motivo do adiamento foi a Lei 14.030/2020, que proíbe assembleias presenciais, nas associações, até 31 de dezembro. A bem da verdade, a lei permite a realização, antes, se autorizada pelas autoridades sanitárias locais, mas, caso dependamos dessa autorização, a data ficaria incerta. E temos que divulgar o edital 25 dias antes do pleito, o que complicaria ter essa definição”, completou o dirigente, que ainda lembrou que se o período de validade da lei for aumentada existem “dois inconvenientes de custo e logística” e “provavelmente” a eleição ocorreria de forma remota.

Na época, Bivar disse para a reportagem do JC que a intenção era realizar o pleito no dia 4 de janeiro e que a data seria oficializada em breve pelo Executivo. Na ocasião, outros dois nomes eram candidatos além de Milton Bivar: Luiz Carlos Belém e Eduardo Carvalho, que ainda seguem com suas candidaturas, diferentemente de Bivar.

OPOSIÇÃO NÃO GOSTOU DO ADIAMENTO PARA JANEIRO

No dia 12 de novembro, em entrevista ao comentarista Ralph de Carvalho, da Rádio Jornal, o então candidato à presidência, Eduardo Carvalho, disse que iria entrar com uma medida judicial contra o adiamento das eleições para 4 de janeiro. Além disso, afirmou que era uma manobra do então presidente Milton Bivar, que de início tinha afirmado que não seria candidato mas voltou atrás. Veja o que Eduardo Carvalho falou no dia 12 de novembro em entrevista à Rádio Jornal.

“Nós estamos estudando, infelizmente, o ingresso com medida judicial. Até porque, teve alguém no Santa Cruz que entrou com uma ação, porque se tentou a prorrogação do mandato, e o juiz determinou que fosse realizado a eleição. Não há menor razão para que essa eleição não seja realizada na data prevista no estatuto do Sport Club do Recife”, afirmou Eduardo Carvalho.

“Em primeiro lugar, o estatuto não permite que seja feita essa alterações. Em segundo lugar, a pouco tempo atrás, o atual presidente tentou fazer uma antecipação das eleições sobre o pretexto de aderir a necessidade imperiosa para que a transição fosse feita de forma tranquila. O senhor Milton Bivar, estava agoniado por antecipar as eleições preocupado com a transição de um presidente para o outro. Essa preocupação foi bater aonde? Acabou?”, questionou.

MILTON BIVAR RETIRA CANDIDATURA À REELEIÇÃO DO SPORT

No dia 19 de dezembro, por meio de uma carta publicada no site oficial do Sport, o presidente Milton Bivar afirmou que não seria candidato à reeleição do Sport. Confira a carta completa no site oficial do Rubro-Negro.

ELEIÇÕES DO SPORT MANTIDAS PARA DEZEMBRO

No dia 12 de novembro, o vice-presidente do Conselho Deliberativo do Sport, Ricardo Sá Leitão, afirmou ao Jornal do Commercio que a eleição deveria acontecer em dezembro, como prevê o estatuto do Leão. “O Corpo de Bombeiros deve autorizar, e o Sport conseguirá fazer as eleições em dezembro, mesmo, conforme o estatuto”, afirmou Ricardo de Sá. “O clube vai ajustar o protocolo (de prevenção ao novo coronavírus) às orientações do CBM”, completou. No dia 20 de novembro, após a publicação de um edital, o pleito foi confirmado para o dia 18 de dezembro.

MILTON BIVAR TIRA LICENÇA DA PRESIDÊNCIA E CARLOS FREDERICO ASSUME

No dia 20 de novembro, Milton Bivar disse ao Jornal do Commercio que estava tirando licença da presidência do clube no final da sua gestão. O principal motivo alegado pro Bivar foi que iria cuidar da saúde. Quem ficou e está como presidente em exercício é Carlos Frederico, vice de Bivar. O mandatário, aliás, disse ao JC no mesmo dia que a situação não iria lançar candidato para o pleito previsto para acontecer no dia 18 de dezembro. Veja trechos do que ele afirmou.

“Não, não. A gente não deve ter candidato. Não há interesse nenhum. O Sport está muito dividido politicamente. Foi uma surpresa para nós observar os movimentos que fizeram, até mesmo dentro da coligação e união de forças que elegeram Milton há dissidências e há insatisfeitos. Então acha que a melhor forma desse pessoal estar dentro do clube é via eleição, via voto”, explicou Carlos Frederico, presidente em exercício do Sport até o fim da gestão Milton Bivar.

“Muito ruim para o clube (eleição em dezembro). O que o presidente tentou desde o começo foi buscar um consenso. Ele emprestaria o nome dele para esse consenso, mas o que ele viu foi uma luta dentro do clube pelo poder. E isso não combina com ele e nem comigo, não faz parte do nosso dia a dia. Eu e ele encaramos a presidência do Sport como um grande sacrifício. Uma coisa de sacrifício enorme, onde a gente vai por exigência e pedidos do nosso grupo. Suspeito muito de pessoas que têm uma gana de ser presidente do clube a qualquer preço. Só posso pensar que essas pessoas têm outros interesses que não somente ajudar o clube. Quem só tem interesse em ajudar o clube não aguenta ficar mais do que dois anos. E já vai para esses dois anos no sacrifício”, afirmou sobre o pleito no dia 18 de dezembro.

ADIAMENTO VEIO EM PAUTA NO DIA 23 DE NOVEMBRO

No dia 23 de novembro, a coluna Planeta Bola, do Jornal do Commercio, assinada por Carlyle Paes Barretoinformou que a atual gestão do Sport iria propor a extensão do mandato e o adiamento das eleições, com a justificativa de não atrapalhar o time na disputa da Série A.

CONVOCAÇÃO DO CONSELHO DELIBERATIVO PARA A REUNIÃO

No dia 27 de novembro, por meio de um edital, o Conselho Deliberativo convocou os conselheiros para uma reunião, feita de forma virtual, para debater o adiamento das eleições do clube. A reunião aconteceu na última segunda-feira, dia (30), pela manhã.

ADIAMENTO DAS ELEIÇÕES

Na manhã da última segunda-feira (30),  durante a reunião do Conselho Deliberativo do Rubro-Negro, o martelo foi batido de que o pleito, previsto para acontecer no dia 18 de dezembro, vai ocorrer apenas após o fim da Série A, que termina no dia 24 de fevereiro. Portanto, a expectativa é de que as eleições do Leão sejam realizadas em março.

Vale lembrar que, com o adiamento para 2021, os candidatos que ainda não realizaram suas inscrições podem fazer. O grupo da situação, inclusive, não lançou a chapa até o momento. Milton Bivar seria o nome, mas desistiu de concorrer à reeleição e, além disso, também se licenciou da presidência do clube, ficando apenas na direção de futebol. Quem ficou na presidência do Executivo foi Carlos Frederico, então vice-presidente do Rubro-Negro.

No debate, os quatro candidatos estiveram presentes. Enquanto Delmiro Gouveia e Luiz Carlos Belém se mostraram favoráveis ao adiamento das eleições, Nelo Campos e Eduardo Carvalho votaram contra. Os últimos dois candidatos citados, inclusive, iriam registar suas chapas na sede do clube. A reunião contou com três opções de votos. A primeira seria manter o calendário eleitoral, a segunda seria o adiamento do pleito e a manutenção do calendário eleitoral e, por último, que foi a mais votada, o adiamento total, com a realização de novos processos.

E O FUTURO?

Na última segunda-feira, após o adiamento das eleições para março, o candidato Eduardo Carvalho, que votou contra a realização do pleito apenas em 2021, disse à Rádio Jornal que o caminho agora é ‘entrar na justiça’. No mesmo dia, por meio de uma nota, o candidato Nelo Campos, que também votou contra o adiamento, disse que o jurídico de sua chapa está estudando essa decisão de adiar a eleição.


FECHAR