publicidade
15/10/20
Jogador faleceu em acidente de avião. Foto: Reprodução/Twitter
Jogador faleceu em acidente de avião. Foto: Reprodução/Twitter

Justiça britânica abre processo contra responsável por fretar voo que matou Emiliano Sala

15 / out
Publicado por Karoline Albuquerque em Futebol Internacional às 19:24

Da AFP – A Autoridade Britânica de Aviação Civil (CAA, na sigla em inglês) anunciou nesta quinta-feira (15) que indiciou um homem por violações da legislação de navegação aérea em sua investigação do acidente que matou o jogador de futebol argentino Emiliano Sala e o piloto da aeronave que o transportava em 2019.

“A Autoridade Britânica de Aviação Civil apresentou acusações contra David Henderson por infrações relacionadas ao acidente fatal de uma aeronave leve no Canal da Mancha em janeiro de 2019”, disse o diretor da CAA, Richard Stephenson.

LEIA MAIS:

>Boateng é intimado pela justiça por suposta agressão à esposa

>Fifpro diz que alguns amistosos foram “irresponsabilidade”

>Primeiro-ministro britânico rejeita pedido de Rashford para ampliar merenda grátis

Henderson, de 66 anos, que atuou como intermediário na organização do voo, é acusado de ter agido de maneira “negligente”.

Ele deve comparecer ao tribunal de Cardiff, País de Gales, em 26 de outubro, após uma apresentação anterior nos tribunais britânicos no final de setembro.

“Sua mãe precisa absolutamente saber toda a verdade” sobre o que aconteceu quase dois anos após o acidente, reagiu o escritório de advocacia Hickman and Rose, que representa Mercedes Taffarel, mãe de Emiliano Sala.

O avião particular em que voavam o argentino de 28 anos e o piloto David Ibbotson caiu no Canal da Mancha em 21 de janeiro de 2019.

O atacante do clube francês Nantes se dirigia para o Cardiff City, onde acabava de ser transferido por 17 milhões de euros (cerca de 20 milhões de dólares).

O corpo do jogador, cujo desaparecimento chocou o mundo do futebol, foi encontrado no interior da aeronave duas semanas após o acidente, a uma profundidade de 67 metros. O corpo do piloto de 59 anos nunca foi encontrado.

Em seu relatório final publicado em março, a Agência Britânica de Investigação de Acidentes Aéreos (AAIB, pela siglas em inglês) constatou que o piloto perdeu o controle da aeronave durante uma manobra realizada em velocidade muito alta, “provavelmente” destinada a evitar o mau tempo para poder ter visibilidade.


FECHAR