publicidade
27/09/20
Foto: Brenda Alcântara/ JC Imagem
Foto: Brenda Alcântara/ JC Imagem

Santa Cruz mira maior ofensividade diante da Jacuipense-BA pela Série C

27 / set
Publicado por Gabriela Máxima em Notícias às 20:10

Após nove dias sem jogos oficiais, o Santa Cruz entra em campo pela disputa da oitava rodada da Série C do Campeonato Brasileiro contra a Jacuipense-BA nesta segunda-feira, no estádio da Arruda, às 20h. A missão da equipe do técnico Marcelo Martelotte é reiniciar sequência de vitórias na competição e somar mais três pontos na classificação do grupo A — na rodada passada empatou por 0x0 com o Manaus. Em sua terceira partida com o Tricolor, Martelotte ainda terá pela frente o desafio de oferecer maior ofensividade à equipe. O time baiano, por sua vez, é o sexto colocado com nove pontos e acumula uma sequência de cinco partidas sem perder – são duas vitórias e três empates.

Vale destacar que o time coral tem uma das melhores campanhas da Série C. Figura atualmente na segunda posição do grupo A, com 14 pontos. Mesma pontuação tem o líder Ferroviário, que está no topo da classificação por conta de vantagem no saldo de gols: 7×4. Detalhe que o Santa Cruz tem um jogo a menos e entra em campo hoje pelo complemento da oitava rodada.

>> Santa Cruz anuncia Lourenço e Leonan como novos reforços para o resto da Série C

>> Santa Cruz anuncia venda de ingressos virtuais para a partida contra a Jacuipense

>> ‘Estamos numa crescente importante’, diz Tinga sobre momento do Santa Cruz na Série C

>> Martelotte assume culpa por falta de gols no Santa Cruz e avisa um time mais ofensivo

A equipe coral deve ter novidades diante da Jacuipense-BA: a estreia do lateral-esquerdo Perí e o retorno do volante Paulinho, recuperado de lesão muscular na coxa direita. Martelotte explicou as opções para a escalação. “Nós estamos preparando e observando Perí. Ele tem respondido muito bem ao trabalho. Desde a semana passada, quando viajamos para Manaus, ele tinha iniciado um trabalho de preparação física. Essa semana ele já esteve integrado com a gente. Existe uma possibilidade sim de ele estrear na segunda-feira (hoje). A gente vai ver a melhor maneira de aproveitá-lo. Mas já ficamos satisfeitos pela presença”, analisou o treinador durante entrevista coletiva.

O comandante também falou sobre a volta de Paulinho, que tem sido uma das peças mais importantes do elenco coral na temporada. Esta será a primeira vez que o volante jogará sob comando de Martelotte, substituto de Itamar Schulle há três semanas. “A presença do Paulinho é importantíssima. A gente sabe da qualidade dele, do momento que ele vivia antes de se lesionar e se ausentar dos últimos jogos. Então ficamos satisfeitos pela volta dele. A gente aguarda o retorno de todos os jogadores que estão no nosso departamento médico, mas, para o momento, ficamos felizes pelo retorno de Paulinho”, pontuou.

Com as confirmações de Perí e Paulinho, o Santa Cruz deve ser escalado com Maycon Cleiton; Toty, Danny Morais, Elivelton e Perí; André, Paulinho e Didira; Jáderson, Mayco Félix e Victor Rangel. Outra novidade pode ser a entrada de Maycon Félix ao lado de Victor Rangel no setor ofensivo. Sem poder contar com Pipico, lesionado, Martelotte sinalizou a mudança como alternativa para tornar os atacantes mais efetivos. Para se ter uma ideia, o ataque tricolor ainda não balançou as redes na Série C. A última vez que um atacante do Santa Cruz marcou um gol foi na disputa da última rodada da fase de grupos do Campeonato Pernambuco. Na ocasião, Pipico fez os dois gols da vitória por 2×1 sobre o Sport. São quase três meses de jejum.

O treinador falou sobre o assunto como algo a ser corrigido coletivamente, assumindo a culpa pela ausência de gols do ataque coral. “Meu objetivo hoje é tornar o time mais ofensivo, mais participativo no setor ofensivo para que a gente crie mais possibilidades para Victor (Rangel). Eu analiso a participação dele não só pela questão individual, mas muito pela questão coletiva também. A gente ainda falha nesse momento ofensivo, principalmente pelo que diz respeito à criação de jogadas. Eu entendo que muito da responsabilidade por essa ausência de gols é minha. É parte do meu trabalho”, falou o treinador, que continuou. “Então o que eu pretendo fazer em relação a ele é tornar o time mais ofensivo. Um time que tenha mais opções e talvez uma dessas opções seja colocar o Mayco Félix junto com ele para que ele tenha um companheiro mais próximo e para que a gente crie maior dificuldade para o adversário”, argumentou o técnico.


FECHAR