publicidade
24/09/20
Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem
Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem

Atacante do Náutico relembra passado na várzea

24 / set
Publicado por Karoline Albuquerque em Multimídia às 21:31

O atacante Erick tem apenas 22 anos, mas sua rodagem no futebol começou logo cedo, ainda em 2013, quando ele tinha apenas 15 anos. O começo foi no Náutico e o futebol de várzea teve papel importante na formação do atleta até o momento em que passou a vestir camisas de clubes conhecidos.

“Comecei cedo, em 2013 fui para o Santos, passei um ano por lá e voltei para o Náutico. Em 2015 o Náutico me emprestou para o Cruzeiro, passei uma temporada lá e retornei. Fiz a Copinha (Copa São Paulo de Futebol Júnior) pelo clube e subi para o profissional”, contou Erick, em entrevista à TV Timba.

LEIA MAIS:

>Elenco do Náutico passa confiança para quem for substituir Jean Carlos contra Cuiabá

>Seguindo Neymar, jogador do Náutico também ataca com caixa de som

>Elenco do Náutico confiante em corrigir problemas para crescer mais na Série B

Antes disso, uma escolinha de bairro viu os primeiros chutes do jogador. “Sempre joguei várzea, desde pequeno. Para começar, todo mundo passa por lá”, comentou o atacante do Timbu. E seu estilo de jogo também tem muito a ver com esse princípio.

“A malandragem da rua, jogando com pessoas mais leves, aprende a ficar mais malandro. Apanhava e como era barro ficava cheio de ferida, todo machucado. Na várzea, a rivalidade é maior. O campo arrodeado de pessoas, pessoal invadindo. Tem muita confusão. Acho que na várzea tem mais rivalidade”, completou Erick.

Confira a entrevista completa:


FECHAR