publicidade
21/09/20
Jair Ventura tem seis jogos com o Sport na Série A. Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem
Jair Ventura tem seis jogos com o Sport na Série A. Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem

Jair Ventura analisa Sport na Série A: “buscando equilíbrio para performar”

21 / set
Publicado por Gabriela Máxima em Multimídia às 9:53

O Sport venceu o Fluminense por 1×0 na Ilha do Retiro na noite do domingo com gol de Hernane em pênalti cobrado aos 10 minutos do primeiro tempo. Apesar da vitória, o Leão não esteve tão bem no segundo tempo e sofreu pressão do Fluminense. Em avaliação do treinador Jair Ventura, esse tipo de situação pode acontecer na Série A do Brasileiro, que “o campeonato mais equilibrado do mundo”. O comandante rubro-negro disse ainda que o Leão está buscando seu equilíbrio para performar melhor nos próximos jogos.

 

> Oscilação, sem sofrer gols e críticas: Jair Ventura avalia vitória do Sport

> Sport sofre, mas vence Fluminense com gol de Hernane Brocador pelo Brasileirão

> “Gol do chefe”, comemora Thiago Neves após Hernane abrir placar para Sport diante do Fluminense

> Confira lance a lance da vitória do Sport em cima do Fluminense

Jair Ventura fez sua análise em entrevista coletiva após a partida na Ilha do Retiro. “Campeonato Série A é muito equilibrado. Na minha percepção é o campeonato mais equilibrado do mundo. Não estou falando que é o melhor, mas é o mais equilibrado. Vão ter jogos dificílimos. E a situação do segundo tempo, a gente tem que corrigir é lógico, a gente quer performar bem. Mas nós temos o nosso adversário que tomou um gol cedo, que quis buscar o resultado e acabou se lançando mais. Então é buscar o equilíbrio. Não sofrer gols é uma situação boa, mas tem que buscar esse equilíbrio para ter a performance repetida no primeiro e no segundo tempo. A gente sabe que não teve isso o tempo todo”, comentou o treinador.

O treinador reúne seis jogos à frente da equipe rubro-negra, sendo três vitórias, um empate e duas derrotas. Ele destacou as outras partidas e lembrou que não dá para tirar conclusões de um trabalho avaliando apenas um tempo de uma partida.

“Hoje foi meu sexto jogo. E a gente não conseguiu ter muito controle de jogo ou igualdade como nós tivemos em outras partidas, até em jogos fora que conseguimos jogar mais. Mas se analisar o segundo tempo, a gente não pode esquecer o primeiro tempo e também não pode esquecer os outros cinco jogos: a performance contra o Coritiba, contra Grêmio, Palmeiras, com um jogador a menos. Um tempo não pode apagar os cinco jogos e só lembrar de um tempo. Que realmente o segundo tempo não era o que a gente queria”, concluiu.


FECHAR