publicidade
18/09/20
Náutico jogou o primeiro tempo com o novo uniforme preto. Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem
Náutico jogou o primeiro tempo com o novo uniforme preto. Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem

Com histórico padrão preto, Náutico empata em casa com a Chapecoense

18 / set
Publicado por Marcos Leandro em Náutico às 23:31

Por Marcos Leandro e Túlio Feitosa

Em jogo histórico, no qual atuou pela primeira vez na sua história com um padrão todo preto – que encabeça a campanha do clube contra o racismo e também simboliza um pedido de desculpas pelo passado de preconceito do clube -, o Náutico empatou por 1×1 com a Chapecoense nos Aflitos na noite desta sexta-feira (18), na sequência da décima rodada da Série B do Campeonato Brasileiro.  O detalhe é que o gol de Kieza saiu no segundo tempo, quando o alvirrubro tinha voltado com o padrão branco. A Chape empatou aos 48 minutos da etapa complementar.

Com o resultado, o Timbu ficou na nona colocação na tabela de classificação, com 14 pontos. Já a Chape subiu para 17 pontos e está em terceiro lugar. A rodada terá sequência neste sábado.

Veja o tempo real de Náutico x Chapecoense

Pela primeira vez na campanha desta Série B, o técnico Gilson Kleina conseguiu repetir a mesma escalação do jogo anterior, com a defesa formada por Hereda, Rafael Ribeiro, Lombardi e Willian Simões, além de Jefferson no gol. No meio de campo, o quarteto Rhaldney, Jhonnatan, Jorge Henrique e Jean Carlos. No ataque, a dupla Erick e Paiva.  De volta após se recuperar de lesão e após a punição por ter participado de uma festa em casa durante esse período de pandemia, Kieza começou no banco de reservas.

O alvirrubro teve um bom volume de posse de bola, mas não conseguiu criar grandes chances de gol no primeiro tempo. A melhor delas ocorreu aos 47, mas Jhonnatan desperdiçou.  Não à toa a Chape tem uma das melhores defesas do campeonato, com apenas dois gols sofridos até o confronto contra os pernambucanos. Já Aylon e Anselmo Ramon estiveram perto de abrir o placar para os catarinenses.

No segundo tempo, o Náutico trocou o uniforme preto pelo branco, que presta homenagem aos profissionais de saúde que estão na linha de frente no combate ao coronavírus.

Com o empate persistindo, Gilson Kleina resolveu mexer no setor ofensivo. Deixaram o gramado Jorge Henrique, Paiva e Erick. Entraram Dadá Belmonte, Kieza e Thiago.  E aos 22, quase o Timbu abriu o placar com Dadá Belmonte. João Ricardo defendeu.  Mas aos 33, Kieza, de cabeça, tirou o zero do placar, aproveitando a boa jogada de Thiago.

O Náutico conseguiu administrar a vitória até os acréscimos, mas aos 48 minutos a Chapecoense empatou, em chute forte de Busanello.  Final: 1×1 nos Aflitos. O próximo compromisso do Timbu é fora de casa, contra o Sampaio Corrêa.

O JOGO

O Náutico começou o primeiro tempo já tentando atropelar a equipe da Chapecoense. A equipe alvirrubra trocou alguns passes no campo defensivo e Rafael Ribeiro deu um lindo passe em profundidade para Guillermo Paiva, que finalizou nas mãos do goleiro João Ricardo.

A equipe alvirrubra continuou pressionando, enquanto sofria algumas faltas no campo de ataque. Mas os lançamentos de Jean Carlos tinham a defesa da Chapecoense como um empecilho. Erick chegou perigosamente ainda aos 5 minutos de jogo, mas bateu fraco para o goleiro adversário. A Chapecoense respondeu aos 6 minutos. Ayton avançou pelo lado esquerdo e deu um belo lançamento para Anselmo Ramon, mas o atacante não alcançou a bola.

O Timbu boltou a impor perigo aos 10 minutos, com Jean Carlos. Erick recebeu belo lançamento de Willian Simões, fez o pivô para o camisa 10, que bateu em cima da defesa da Chapecoense.

A defesa do Náutico vinha muito bem no jogo, e a Chapecoense teve que explorar os mínimos erros do sistema defensivo alvirrubro. Foi o que aconteceu aos 15 minutos, quando Anselmo Ramon roubou a bola de Rhaldney na intermediária e avançou até a entrada da grande área. O atacante passou a bola para Matheus Ribeiro, que finalizou para o gol e teve a bola desviada para a linha de fundo.

 

Erick não fez uma boa partida. Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem

E a equipe catarinense chegou algumas outras vezes com perigo. Aos 20 minutos, Aylon arriscou de longe, a bola desviou na defesa alvirrubra e passou perto do gol. Aos 22, Anselmo Ramon tabelou com Aylon e finalizou para fora. Enquanto que, para o lado do Náutico, Erick foi o que mais tentou, fazendo jogadas pela ponta direita e puxando para o meio, mas sempre finalizando mal.

O primeiro cartão amarelo saiu aos 28 minutos. Rhaldney matou um contra-ataque que seria perigoso para a Chapecoense e foi punido pelo árbitro cearense.

A equipe alvirrubra chegou com perigo mais uma vez aos 38 minutos. Com boas trocas de passes, Paiva recebeu na ponta direita, virou o jogo para Willian Simões, que deixou para Jean Carlos. O camisa 10 bateu cruzado para Paiva finalizar, mas o atacante não conseguiu alcançar a bola.

A resposta do adversário feio aos 40 minutos. Moccelin ganhou a corrida contra Hereda, que não marcou o ponto futuro da bola, e finalizou para Jefferson. O goleiro largou para o rebote e Hereda não reagiu. O atleta da Chapecoense recuperou a bola e recuou para Matheus Ribeiro, que finalizou para longe.

O último lance do primeiro tempo foi uma chance desperdiçada do Náutico. Com mais uma boa sequência de troca passes, a bola foi cruzada para Jhonnatan, que recebeu com a barra aberta, mas finalizou por cima.

Com o padrão branco no segundo tempo, o Náutico tentou pressionar desde o início mais uma vez. Jean Carlos recebeu um passe perto da intermediária e bateu de muito longe, mas passou ao lado do gol.

 

KIeza entrou no segundo tempo no lugar de Paiva. Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem

A Chapecoense voltou melhor para a segunda etapa. Conseguiu manter mais a posse de bola que, no primeiro tempo, era prioridade do Timbu. E quase abriu o placar aos 9 minutos, quando a zaga alvirrubra tentou trocar passes com Jefferson, que prendeu a bola por muito tempo e teve que afastar para a lateral, antes que a marcação da Chapecoense fizesse o desarme.

O Náutico quase abre o placar aos 11 minutos. Jorge Henrique cobrou falta para a grande área, Paiva conseguiu desviar com a cabeça, mas João Ricardo fez linda defesa. No contra-ataque da Chapecoense, Jean Carlos faz a falta e recebeu o cartão amarelo. O camisa 10 recebeu seu terceiro amarelo na competição e não podrá enfrentar o Sampaio Correa.

Com Jorge Henrique mal no segundo tempo e Paiva ineficiente na partida, Gilson Kleina sacou Dadá Belmonte e Kieza, bastante contestado na temporada. Dadá acabou caindo pela esquerda, reforçando as jogadas pela ponta, enquanto Kieza se manteve na função de centro-avante, esperando os lançamentos dos companheiros de equipe.

O primeiro lance de perigo após as substituições veio aos 22 minutos. Jean Carlos fez uma grande jogada pelo lado direito, tentou a finalização mas foi bloqueado. O camisa 10 aproveitou a sobra da bola e entregou para Dadá Belmonte, que deu um belo chute, mas o goleiro João Ricardo fez uma defesa mais bela ainda. Após o lance, Thiago foi acionado e entrou no lugar de Erick. A Chapecoense também mudou. Ronei entrou no lugar de Aylon, enquanto Thiago Ribeiro entrou no lugar de Moccelin.

A Chapecoense voltou a pressionar pelas laterais do campo. Aos 30 minutos, Anderson Leite recebeu um bom lançamento e tentou cruzar para a grande área, mas Willian Simões interceptou e botou para escanteio.

O Náutico veio surpreender aos 33 minutos. Thiago recebeu bola de Hereda na ponta direita, puxou para o meio, tirando da marcação, e deu um belo cruzamento para Kieza, que cabeceou para o fundo das redes. Náutico abre o placar nos Aflitos. Logo após o gol, Gilson Kleina botou Djavan no lugar do Jhonnatan.

 

Kieza marcou o gol do Náutico. Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem

 

Thiago voltou a impôr perigo à Chapecoense aos 36 minutos. O atacante recebeu na direita mais uma vez e repetiu a jogada anterior, puxando a bola para o meio. Ele finalizou direto para o gol, mas o goleiro João Rafael brilhou mais uma vez e botou a bola para escanteio. Com o jogo chegando ao fim, a Chapecoense foi todo para o campo de ataque. Busanello entrou no lugar de Rafael Santos e a equipe catarinense seguiu atacando pelas pontas.

O árbitro deu mais 6 minutos de acréscimos, o que distanciava o Timbu da vitória, já que o Náutico pouco atacou no momento final do jogo.

E foi aos 48 minutos do segundo tempo que a Chapecoense evitou a derrota nos Aflitos. A equipe catarinense trocou passes no campo de ataque, Thiago Ribeiro recebeu a bola e viu Busanello livre na ponta esquerda. De um atacante para o outro, Busanello bateu cruzado para o fundo do gol, sem chances para o goleiro Jefferson. O jogo seguiu truncado até o apito final. Tudo igual no Estádio dos Aflitos.

Ficha do jogo

Náutico

Jefferson; Hereda, Rafael Ribeiro, Fernando Lombardi e Wilian Simões; Rhaldney, Jhonnatan (Djavan), Jean Carlos e Jorge Henrique (Dadá Belmonte); Erick (Thiago) e Paiva (Kieza). Técnico: Gilson Kleina.

Chapecoense

João Ricardo; Ezequiel, Joílson, Luiz Otávio e Rafael Santos (Busanello) ; Matheus (Vinícius Locatelli), Willian Oliveira e Anderson Leite; Paulinho Moccelin (Thiago Ribeiro), Aylon (Ronei) e Anselmo Ramón. Técnico: Umberto Louzer.

Local: Estádio dos Aflitos.

Árbitro: Adriano Barros Carneiro (CE).

Assistentes: Cleberson do Nascimento Leite e Eleutério Felipe Marques Júnior (ambos CE).

Gols: Kieza aos 33  e Busanello aos 48 do 2º tempo.

Cartões Amarelos: Willian Simões, Rhaldney e Jean Carlos (N); Ezequiel e Joilson (C).


FECHAR