publicidade
06/08/20
Daniel Neri, técnico do Salgueiro. Foto: Reprodução
Daniel Neri, técnico do Salgueiro. Foto: Reprodução

Daniel Neri: o português que fez história no Salgueiro e no futebol de Pernambuco

06 / ago
Publicado por Lucas Holanda em Notícias às 0:30

{'nm_midia_inter_thumb1':'https://imagens.ne10.uol.com.br/veiculos/_midias/jpg/2020/08/05/120x80/1_seloweb_600pxsalgueiro-16480804.jpg', 'id_midia_tipo':'2', 'id_tetag_galer':'', 'id_midia':'5f2b3f37cfdd6', 'cd_midia':16480804, 'ds_midia_link': 'https://imagens.ne10.uol.com.br/veiculos/_midias/jpg/2020/08/05/seloweb_600pxsalgueiro-16480804.jpg', 'ds_midia': 'Selo do Salgueiro campeão pernambucano', 'ds_midia_credi': 'Arte: JC', 'ds_midia_titlo': 'Selo do Salgueiro campeão pernambucano', 'cd_tetag': '1', 'cd_midia_w': '1224', 'cd_midia_h': '228', 'align': 'Left'}

Nove treinadores estrangeiros já tinham sido campeões pernambucanos. No entanto, dentre os nomes, apenas sul-americanos. Nenhum europeu. Só que isso mudou em 2020. Com o título estadual do Salgueiro, o primeiro da história do clube, o técnico português Daniel Neri, nascido em Amarante, norte de Portugal, escreveu uma grande história no futebol pernambucano. Isso porque além de ser o comandante que deu a um time do interior a conquista do Estadual, também se tornou o primeiro europeu a vencer o Estadual.

LEIA MAIS

>> Carcará: a origem do mascote do Salgueiro

>> Após título, presidente do Salgueiro desabafa: “coroamos esse projeto que começou há mais de 15 anos”

>> Salgueiro: um clube que revolucionou uma cidade

>> Confira a campanha vitoriosa do Salgueiro no Campeonato Pernambucano 2020

>> Salgueiro se consolida como a maior força do interior pernambucano

>> Salgueiro faz história, vence o Santa Cruz nos pênaltis e conquista título Pernambucano

Na primeira fase, uma campanha que rendeu ao clube o 2º lugar na primeira fase do torneio. Depois, uma goleada diante do Afogados na semifinal. Em seguida, título inédito conquistado com o Salgueiro diante do Santa Cruz, na grande decisão de 2020. Em 2019, o português Jorge Jesus encantou o futebol brasileiro ao conquistar o Campeonato Brasileiro e a Copa Libertadores da América diante do Flamengo. Com um estilo de jogo intenso e em busca do gol o tempo inteiro, o comandante foi peça chave para o clube carioca conquistar o nacional pela sexta vez, além do bi na liberta. No entanto, o técnico do Salgueiro evita comparações não só com Jorge Jesus, que hoje está no Benfica, mas também com outros treinadores lusos.

“Só porque os treinadores portugueses estão em alta, não é por isso que sou bom. E nem porque os técnicos portugueses estão em baixa, eu sou ruim. Então eu descarto isso. Minha formação foi em Portugal. O clube em que eu convivi muito foi o Porto, onde tive seis anos, com José Mourinho à frente da equipe principal e deixou um legado. Essas foram as bases de onde eu realmente apreendi o que era futebol e pensar o futebol”, disse Daniel Neri, que completa falando da sua trajetória no futebol brasileiro até o título inédito com o Salgueiro.

“Na prática, onde eu conquistei as coisas em campo foi no Brasil. Não tenho empresário e estou numa final de Campeonato Pernambucano. Comecei no Porto de Caruaru, com o sub-17 e depois no profissional. Depois no sub-17 e sub-20 do Sport. Em seguida, uma passagem rápido no Flamengo de Arcoverde, clube que eu achei que tinha uma estrutura, mas não tinha. Ali conheci como o futebol do interior tem muitas dificuldades”, afirmou o técnico campeão pernambucano, que finaliza destacando a união do Carcará.

“O Salgueiro é uma equipe do interior, mas é um clube que o povo da cidade tem um carinho muito grande. É com esse espírito que a gente convive no dia a dia. É um trabalho que representa uma cidade e um clube. Temos uma direção apaixonada pelo clube e pela cidade. E tudo isso vem para dentro de campo. São jogadores pelo clube, pelo presidente e pelas pessoas que encontram no dia a dia. É um clube com uma característica familiar. Uma família que entra dentro de campo e quer vencer”, finalizou o treinador português.

LISTA DOS TÉCNICOS ESTRANGEIROS CAMPEÕES PERNAMBUCANOS

Carlos Viola (Uruguai) – Campeão do Pernambucano de 1928 com o Sport;

Humberto Cabelli (Uruguai) – Campeão do Pernambucano de 1939 com o Náutico;

Ricardo Díez (Uruguai) – Campeão do Pernambucano de 1941 com o Sport;

Valentim Navamuel (Argentina) – Campeão Pernambucano em 1938 com o Sport e Bicampeão do Pernambucano em 1942 e 1943 também com o Sport;

Aurélio Munt (Paraguai) – Campeão Pernambucano pelo Sport em 1945;

Salvador Perine (Uruguai) – Campeão Pernambucano pelo Sport em 1949;

Alfredo González (Argentina) – Campeão Pernambucano pelo Santa Cruz em 1957 e pelo Náutico em 1963;

José Fiorotti (Uruguai) – Campeão Pernambucano pelo Sport em 1953;

Dante Bianchi (Argentina) – Bicampeão Pernambucano pelo Sport em 1956 e 1958.

LISTA DE TÉCNICOS CAMPEÕES PERNAMBUCANOS DESDE 1928

1928 – Carlos Viola (Sport)
1931 – Ilo Just (Santa Cruz)
1932 – Ilo Just (Santa Cruz)
1933 – Ilo Just (Santa Cruz)
1934 – Joaquim Loureiro (Náutico)
1935 – Ilo Just (Santa Cruz)
1936 – Joaquim Loureiro (Tramways)
1937 – Joaquim Loureiro (Tramways)
1938 – Valentim Navamuel (Sport)
1939 – Umberto Cabelli (Náutico)
1940 – Floriano de Oliveira (Santa Cruz)
1941 – Ricardo Diez (Sport)
1942 – Valentim Navamuel (Sport)
1943 – Valentim Navamuel (Sport)
1944 – Álvaro Barbosa (América)
1945 – Aurelio Munt (Náutico)
1946 – Palmeira (Santa Cruz)
1947 – Palmeira (Santa Cruz)
1948 – Comissão formada por Danzi, Lages e Vavá (Sport)
1949 – Salvador Perine (Sport)
1950 – Palmeira (Náutico)
1951 – Palmeira (Náutico)
1952 – Palmeira (Náutico)
1953 – José Fiorotti (Sport)
1954 – Silvio Pirilo (Náutico)
1955 – Gentil Cardoso (Sport)
1956 – Dante Bianchi (Sport)
1957 – Alfredo Gonzalez (Santa Cruz)
1958 – Dante Bianchi (Sport)
1959 – Gentil Cardoso (Santa Cruz)
1960 – Náutico (Gentil Cardoso)
1961 – Palmeira (Sport)
1962 – Palmeira (Sport)
1963 – Alfredo Gonzalez (Náutico)
1964 – Duque (Náutico)
1965 – Antoninho (Náutico)
1966 – Duque (Náutico)
1967 – Duque (Náutico)
1968 – Duque (Náutico)
1969 – Gradim (Santa Cruz)
1970 – Duque (Santa Cruz)
1971 – Duque (Santa Cruz)
1972 – Evaristo de Macedo (Santa Cruz)
1973 – Paulo Emílio (Santa Cruz)
1974 – Orlando Fontani (Náutico)
1975 – Duque (Sport)
1976 – Ênio Andrade (Santa Cruz)
1977 – Ênio Andrade (Sport)
1978 – Evaristo de Macedo (Santa Cruz)
1979 – Evaristo de Macedo (Santa Cruz)
1980 – Mário Juliato (Sport)
1981 – Orlando Fantoni (Sport)
1982 – Ricardo Brida (Sport)
1983 – Carlos Alberto Silva (Santa Cruz)
1984 – Ênio Andrade (Náutico)
1985 – Mario Juliato (Náutico)
1986 – Moisés (Santa Cruz)
1987 – Abel Braga (Santa Cruz)
1988 – José Carlos Amaral (Sport)
1989 – Charles Muniz (Náutico)
1990 – Erandir Montenegro (Santa Cruz)
1991 – Givanildo Oiliveira (Sport)
1992 – Givanildo Oliveira (Sport)
1993 – Charles Muniz (Santa Cruz)
1994 – Givanildo Oliveira (Sport)
1995 – Fito Neves (Santa Cruz)
1996 – Hélio dos Anjos (Sport)
1997 – Hélio dos Anjos (Sport)
1998 – Mauro Fernandes (Sport)
1999 – Fito Neves (Sport)
2000 – Emerson Leão (Sport)
2001 – Muricy Ramalho (Náutico)
2002 – Muricy Ramalho (Náutico)
2003 – Hélio dos Anjos (Sport)
2004 – Zé Teodoro (Náutico)
2005 – Givanildo Oliveira (Santa Cruz)
2006 – Dorival Júnior (Sport)
2007 – Alexandre Gallo (Sport)
2008 – Nelsinho Baptista (Sport)
2009 – Nelsinho Baptista (Sport)
2010 – Givanildo Oliveira (Sport)
2011 – Zé Teodoro (Santa Cruz)
2012 – Zé Teodoro (Santa Cruz)
2013 – Marcelo Martelotte (Santa Cruz)
2014 – Eduardo Baptista (Sport)
2015 – Ricardinho (Santa Cruz)
2016 – Milton Mendes (Santa Cruz)
2017 – Vanderlei Luxemburgo (Sport)
2018 – Roberto Fernandes (Náutico)
2019 – Guto Ferreira (Sport)
2020 – Daniel Neri (Salgueiro)

 


FECHAR