publicidade
12/07/20
Tottenham ainda sonha com vaga na Europa League. Foto: Reprodução/ Twitter
Tottenham ainda sonha com vaga na Europa League. Foto: Reprodução/ Twitter

Tottenham vence clássico contra Arsenal e segue na briga por vaga na Europa League

12 / jul
Publicado por Blog do Torcedor em Futebol Internacional às 17:20

POR AFP – O Tottenham, do técnico português José Mourinho, continua na disputa por uma vaga nas competições europeias, depois de vencer por 2 a 1 um adversário direto, o Arsenal, neste domingo, no derby do norte de Londres, pela 35ª rodada da Premier League. O francês Alexandre Lacazette colocou os ‘Gunners’ na frente do placar com uma bomba na entrada da área (16), mas a alegria durou pouco. Logo depois o atacante sul-coreano Son Heung-min empatou, aproveitando um grande erro da defesa do Arsenal (19).

A nove minutos do final da partida, o zagueiro belga Toby Alderweireld conseguiu o empate com uma cabeçada após a cobrança de um escanteio, dando vitória e os três pontos ao Tottenham, que ficou em oitavo, com 52 pontos, dois a mais que seu adversário deste domingo.”Estamos felizes porque fizemos os torcedores ficarem felizes, estamos felizes porque ainda estamos na luta pela conquista da vaga na Liga Europa”, disse Mourinho.

Para ser sincero, Mikel (Arteta) encontrou uma maneira de jogar, de ser estável e de melhorar. Sentimos que deveríamos nos adaptar um pouco a eles e fizemos muito bem”. “O Arsenal teve 48 horas a mais do que nós de descanso, por isso foi difícil, mas veio do coração deles, desse esforço, dessa batalha”, acrescentou o treinador português.

LEIA MAIS

Genoa vence SPAL e respira no Campeonato Italiano

Leila Barros, ex-jogadora de vôlei e atual senadora, confirma que contraiu covid-19

Leeds de Marcelo Bielsa vence Swansea por 1×0 e fica perto da Premier League

WOLVES VENCEM 

Mais cedo o Wolverhampton venceu com facilidade o Everton (3-0) e também se manteve na luta para se classificar para a Liga Europa pela segunda vez consecutiva. Com esta vitória, os ‘Wolves’ recuperam o sexto lugar na classificação, com 54 pontos, um a mais que seu perseguidor imediato, o Sheffield United. O time comandado por Nuno Espírito Santo precisou ganhar confiança após duas derrotas consecutivas para Arsenal (2-0) e Sheffield (1-0).

A abertura do placar veio no final do primeiro tempo, graças a uma penalidade obtida pelo português Daniel Podence, que foi parado irregularmente pelo lateral-esquerdo francês Lucas Digne. O mexicano Raúl Jiménez cobrou e marcou (45+2). O belga Leander Dendoncker aumentou a vantagem no primeiro minuto da segunda etapa com uma cabeçada (46).

O futuro rival do Olympiakos no jogo de volta das oitavas-de-final da Liga Europa (1-1 na ida) prevaleceu com facilidade sobre os ‘Toffees’ que parecem não estar em boa fase e ocupam a décima primeira posição. Outro português, Diogo Jota, marcou o terceiro (74), em uma vitória que poderia ter tido um placar mais elástico se o espanhol Adama Traoré não tivesse chutado na trave (86).

ASTON VILLA SEGUE SONHANDO

Em outro jogo disputado neste domingo, o egípcio Mahmoud Hassan, conhecido no futebol como ‘Trezeguet’, marcou os dois gols (45+ 4 e 59) que deram ao Aston Villa (18º) a vitória contra o Crystal Palace (14º). Embora a equipe de Birmingham permaneça na zona de rebaixamento, como penúltima, está agora a quatro pontos de Watford, primeiro time a se salvar se o campeonato terminasse agora.

A polícia prendeu um garoto de 12 anos como suposto autor dos insultos racistas que o atacante marfinense do Crystal Palace Wilfried Zaha recebeu através das redes sociais, pouco antes da partida. Em sua conta no Twitter, Zaha publicou três capturas de tela com mensagens racistas que ele havia recebido em outra rede social, o Instagram, de um suposto torcedor do Aston Villa.

“Fomos alertados sobre uma série de mensagens racistas enviadas hoje a um jogador de futebol e, após as investigações pertinentes, detivemos uma criança”, anunciou a polícia em sua conta no Twitter. “O garoto de 12 anos de Solihull foi preso. Obrigado a todos que alertaram. O racismo não será tolerado”, acrescentaram as autoridades.


FECHAR