publicidade
30/06/20
André Longo explicou que a nova semana epidemiológica será analisada antes da liberação do retorno dos jogos. Foto: LEO MOTTA/JC IMAGEM
André Longo explicou que a nova semana epidemiológica será analisada antes da liberação do retorno dos jogos. Foto: LEO MOTTA/JC IMAGEM

Futebol ainda sem data para retorno em Pernambuco

30 / jun
Publicado por Karoline Albuquerque em Afogados da Ingazeira às 18:38

Ainda não será na próxima semana que o futebol recomeçará em Pernambuco. Nesta terça-feira (30), o secretário de saúde do estado André Longo afirmou que não há data definida para o reinício das partidas oficiais. Até segunda-feira (29), a Federação Pernambucana de Futebol (FPF) mantinha esperança em voltar com a disputa do Campeonato Pernambucano entre os dias 8 e 12 de julho. Além do estadual, a Copa do Nordeste ainda precisa ser concluída.

“Hoje não temos data para retorno dos jogos de futebol profissional. Adiamos e retiramos os jogos de futebol, como também o polo de confecções, da etapa 5 e ainda vamos definir quais são as próximas etapas onde vai se incluir a partir da análise que vamos fazer da semana epidemiológica 27”, explicou Longo, em entrevista coletiva. Antes de bater o martelo sobre a data, o secretário pretende dialogar com a FPF para debater o calendário.

LEIA MAIS:

> Presidente do Sport apoia decisão do Estado e defende volta dos jogos com torcida

> Vice presidente do Santa Cruz concorda com a não liberação momentânea da volta do futebol no Estado

> Presidente do Náutico aprova decisão do Governo em não liberar volta dos jogos

Por enquanto, André Longo adiantou que o futebol não será retomado na semana que começa no dia 6 julho e também não há previsão para isso na semana seguinte. O Campeonato Pernambucano precisa de cinco datas para ser concluído, sendo uma para a última rodada da primeira fase e as outras quatro para o mata-mata. A Copa do Nordeste precisa da mesma quantidade de datas, tendo o mesmo calendário remanescente. Esta última é definida pela Confederação Brasileira de Futebol (CBF). A entidade nacional, inclusive, pretende começar os Campeonatos Brasileiros das Série A e B nos dias 9 e 8 de agosto, respectivamente.

No plano divulgado pelo Governo de Pernambuco há um mês, o retorno dos jogos de futebol sem a presença da torcida aconteceriam na mesma etapa de reabertura gradual do varejo, feiras, shoppings e do polo de confecções. De acordo com o secretário de desenvolvimento econômico Bruno Schwambach, tanto o futebol quanto o polo do Agreste vão depender dos próximos números. A expectativa é que as curvas e dados se comportem apresentando melhora.

“A pandemia tem uma curva muito similar no mundo inteiro, com crescimento muito acelerado, estabilização e início de queda. Na estabilização e queda é onde a gente consegue avançar o plano. A região metropolitana tem dado esse avanço, a queda tem sido consistente por isso temos conseguido avançar mais aqui nessas regiões, enquanto Agreste e Sertão estamos avaliando com atenção, mas vamos seguir conversando e dialogando com os setores para gradualmente dar passo a passo colocando as atividades econômicas, mas com muito cuidado com a saúde”, disse Schwambach.

Quando as atividades foram paralisadas, o Campeonato Pernambucano tinha Santa Cruz e Salgueiro classificados direto para as semifinais, por ocuparem 1º e 2º lugar, respectivamente, com 22 e 16 pontos. Retrô e Náutico aparecem depois, empatados com 12 pontos, mas com vantagem para a Fênix nos gols pró. O Sport soma 11, em 5º, e o Afogados é o último dentro da zona de classificação para as quartas de final, com 10 pontos.

Fugindo do rebaixamento aparecem Central, Petrolina, Decisão e Vitória. A Patativa do Agreste é a única com possibilidade real de se classificar para o mata-mata por ter os mesmos 10 pontos do Afogados. O problema é a diferença nos gols marcados. Enquanto a Coruja tem 12, o Alvinegro de Caruaru tem apenas cinco. Na última rodada, o Central encara o Decisão, vice-lanterna, como visitante, enquanto o Afogados tem o Vitoria, último colocado com apenas dois empates, em casa.

O Campeonato Pernambucano está parado desde o dia 15 de março por causa da pandemia do novo coronavírus. No estado, já são 58.858 casos da covid-19, com 4.829 óbitos pela doença.


FECHAR