publicidade
03/05/20
Derlis Alegre, Guillermo Paiva e Júnior Brítez criaram amizades fora de campo. Foto: Arquivo pessoal
Derlis Alegre, Guillermo Paiva e Júnior Brítez criaram amizades fora de campo. Foto: Arquivo pessoal

Paraguaios do Náutico e Santa Cruz aproveitam quarentena para estreitar amizade

03 / maio
Publicado por Fernando Castro em Náutico às 9:02

Com o futebol brasileiro paralisado há um mês e meio em razão da pandemia do novo coronavírus, os jogadores estão convivendo com uma rotina diferente. No Recife há pouco tempo, os paraguaios do Náutico e Santa Cruz têm aproveitado o momento difícil da quarentena para estreitar a amizade. Enquanto aguardam o retorno dos campeonatos para poderem estrear, o atacante tricolor Derlis Alegre e o meia alvirrubro Júnior Brítez se juntaram ao atacante Guillermo Paiva, que já estava na capital pernambucana desde o início da temporada defendendo o Timbu. O Jornal do Commercio entrevistou os atletas para conhecê-los melhor.

Júnior Brítez tem sido o principal responsável por fortalecer a amizade do trio fora de campo. O meia já atuou ao lado de Guillermo Paiva em duas oportunidades, na seleção paraguaia sub-20 e no Olimpia, clube em que foram formados. Já com Derlis Alegre, o jogador alvirrubro foi companheiro de time no Sportivo Luqueño, também no Paraguai. Mesmo com as atividades suspensas nos clubes desde o dia 17 de março, o trio tem treinado junto duas vezes por semana para manter o condicionamento físico.

“Eu conheço Júnior Britez já faz um tempo, quando jogamos na seleção paraguaia sub-20. Logo em seguida fui para o Olímpia e lá atuamos juntos nas categorias de base e no profissional. A relação com ele é muito boa, sou muito amigo dele, acredito que temos os mesmos propósitos e tem tudo para dar certo aqui também”, comentou Guillermo Paiva. Já projetando uma parceria no Náutico, Brítez destacou a relação com o atacante: “Jogar ao lado de um companheiro vai ser muito bom, vai ser um experiência muito boa para nós. Paiva para mim é como um irmão e espero que aconteça o melhor para nós e para a nossa equipe”, afirmou o meia.

 

Como chegaram ao Recife praticamente em meio à pandemia do novo coronavírus, Alegre e Brítez tiveram pouco tempo para conhecer e aproveitar melhor a cidade, já que só saem do apartamento onde moram para treinar na praia. “Recife é uma cidade muito linda. Mas infelizmente ainda não tive a oportunidade de conhecer muitos lugares por conta da pandemia (do novo coronavírus). No momento fico mais no meu apartamento e treino para o que vier a acontecer”, contou o atacante Derlis Alegre.

Guillermo Paiva, Júnior Brítez e Derlis Alegre são representados pelo mesmo empresário, Regis Marques Chedid, responsável também por trazer o volante Jiménez e o atacante Ortigoza ao Náutico nas últimas duas temporadas. Na capital pernambucana, os jogadores paraguaios contam com a assistência do intermediário Rafael Monteiro, que tem ajudado o trio a se adaptar melhor na cidade.

“Morei na Espanha por nove anos, falo espanhol fluente e sei a dificuldade de morar fora do País, longe da família e dos amigos. Quando retornei ao Recife, comecei a trabalhar com atletas estrangeiros. Conheci o Regis (Marques, empresário de Alegre, Paiva e Brítez) em 2014, quando trouxemos o zagueiro Enrique Meza para o Sport. A partir daí, criamos essa relação e passamos a trabalhar juntos com outros atletas do Paraguai. Ele me fez o convite e trabalho com ele na captação e intermediação de atletas no Nordeste”, contou Rafael Monteiro.

LEIA MAIS

Náutico avança em negociação com o Flamengo e fica perto de fechar acordo

Santa Cruz inicia conversas para tentar manter Victor Rangel

Náutico define reapresentação do elenco para o dia 11 de maio

ADAPTAÇÃO E ANSIEDADE

Deixando de lado a rivalidade entre os times, Derlis Alegre e Júnior Brítez estão morando juntos durante o período de quarentena, enquanto Guillermo Paiva mora próximo aos dois. Ainda sem estrear e se juntar com os demais jogadores do elenco, o atacante do Santa Cruz contou que a presença de outros paraguaios tem o ajudado na adaptação à cidade.

“Ter outros paraguaios na cidade me ajudou bastante. Joguei com Júnior Brítez no Sportivo Luqueño e quando cheguei aqui me encontrei com ele mais uma vez e estou morando com ele. Já Paiva eu conheci quando cheguei aqui. Sempre estamos conversando e isso vem me ajudando bastante na adaptação”, disse Alegre.

Ansioso para voltar a entrar em campo e estrear pelo Náutico, Júnior Brítez se mostrou grato pela oportunidade no clube. Essa vai ser a segunda experiência do jogador no Brasil, já que no ano passado defendeu a Ponte Preta. “A verdade é que estou muito feliz e contente por poder ter a oportunidade de jogar no Náutico, vai ser uma experiência muito linda para minha carreira e que seja o melhor para mim e para o clube. Espero dar muitas alegrias para a torcida do Náutico”, completou o jogador.


FECHAR