publicidade
30/03/20
Foto: Jota Santana/Santa Cruz
Foto: Jota Santana/Santa Cruz

Zagueiro do Santa Cruz tem visitado o Arruda para manter condicionamento físico

30 / mar
Publicado por Luana Ponsoni em Notícias às 13:48

Com as atividades paralisadas no Santa Cruz desde o último dia 17, os jogadores têm seguido uma cartilha disponibilizada pela comissão técnica para mater o condicionamento físico. Mas os desafios aumentam na medida em que os dias em casa vão se acumulando. O zagueiro William Alves, por exemplo, revelou ao repórter João Victor Amorim, da Rádio Jornal, que tem visitado o estádio do Arruda para realizar algumas movimentações. O motivo principal é a falta de espaço em casa.

>>Danny Morais ao lado de Denilson e Alisson Becker em iniciativa para ajudar hospitais contra coronavírus

>>Presidente do Santa Cruz otimista com ajuda financeira da CBF a clubes da Série C

>>Santa Cruz vai negociar férias do atletas individualmente

“Além de ser ruim o confinamento, é que, em casa, você não tem muito espaço para poder treinar. Academia, esses lugares públicos, estão fechados a gente tem tentado adaptar algumas coisas. Alguns espaços no prédio, que a gente acha para poder estar trabalhando, a gente tem feito. Eu realmente, sim, acabei indo no Arruda, por ainda terem alguns seguranças trabalhando ali ainda. A gente tem acesso ali dentro e, como o espaço ali é aberto e só estou indo eu lá, eu tenho tentado ir algumas vezes fazer corridas ao ar livre, porque, como eu falei, os espaços em casa e no próprio prédio são limitados. A própria academia do prédio não pode ser usada”, lamentou.

William se mostrou preocupado em buscar todos os meios para não deixar o condicionamento físico ser muito comprometido no período de paralisação. Justamente porque entende que, quando o calendário de jogos for retomado, a perspectiva é que o tempo fique ainda mais escasso para a preparação.

“É uma situação nova para todos. Acho que todos os jogadores estão tendo dificuldades, e estão tendo que ter muita criatividade para fazer seus trabalhos. Mas, para nós, é importante manter o mínimo porque a gente sabe que o calendário vai ser muito apertado. A gente não sabe quando vai voltar e o tempo que vai ter para se preparar para voltar. Então, é importante a gente voltar bem para não ter que regredir tanto,né? Sabemos também que, quando voltar, o resultado no futebol é muito cobrado. Então, a gente tenta perder o mínimo possível, para, quando voltar, estar bem”, avaliou.


FECHAR