publicidade
17/02/20
Vitória Calhau (D) estava sendo apresentada à torcida. Foto: Divulgação/Atlético-MG
Vitória Calhau (D) estava sendo apresentada à torcida. Foto: Divulgação/Atlético-MG

Após machismo de mascote, zagueira do Atlético-MG desabafa

17 / fev
Publicado por Karoline Albuquerque em Futebol Feminino às 21:53

De domingo (16) para esta segunda-feira (17), a zagueira Vitória Calhau se viu em destaque nas redes sociais. A jogadora do Atlético-MG estava apenas sendo apresentada à torcida do clube quando foi vítima de assédio do mascote Galo Doido, no estádio Mineirão, durante o intervalo da partida entre o alvinegro e a Caldense. Em entrevista aos canais ESPN, a zagueira afirmou ter se sentido um “objeto sexual”.

“Quando aconteceu, não me senti ofendida, porque achei que ele virou para ver o meu número. Porque o número do galo é 13 e ontem eu estava com a camisa 13. Até então não levei com segundas intensões. Depois chegaram vídeos e pessoas próximas a mim, familiares e amigos, falaram”, contou a jogadora.

LEIA MAIS:

>Mascote Galo Doido, do Atlético-MG, afastado por ato machista em apresentação de equipe feminina

>Neymar viaja com o PSG para duelo com o Borussia Dortmund

>Consternação em Portugal após insultos racistas a Marega

Calhau relatou ter visto o vídeo seguidas vezes. “Me senti um objeto sexual. Eu não estava ali por brincadeira. Eu estava ali para minha profissão, eu jogo futebol e no time feminino do Atlético. Ele vai e faz isso”, emendou a jogadora. Ela ainda acrescentou que não culpa o clube. “Me girar e olhar para as minhas partes foi errado. Culpo a pessoa dentro da fantasia. Não sei se foi brincadeira ou algo intencional dele”, acrescentou.

O Atlético-MG se posicionou logo na manhã desta segunda-feira (17). Em sua conta oficial no Twitter, o clube declarou apoio à atleta. “Sobre o episódio ocorrido na tarde de ontem, envolvendo a atleta Vitória Calhau, o Atlético lamenta e repudia o comportamento do funcionário, que foi sumariamente afastado. Pedimos desculpas à atleta, às demais jogadoras e a todas as torcedoras e torcedores pelo lamentável ato”, diz a nota.


FECHAR