publicidade
17/02/20
Foto: MIGUEL RIOPA / AFP
Foto: MIGUEL RIOPA / AFP

Consternação em Portugal após insultos racistas a Marega

17 / fev
Publicado por Karoline Albuquerque em Futebol Internacional às 17:45

Da AFP – O mundo do futebol e os dirigentes políticos portugueses lamentaram nesta segunda-feira (17) e mostraram sua solidariedade com o jogador do Porto, o franco-malinense Moussa Marega, que no último domingo (16) deixou o campo no meio da partida por ter sofrido insultos racistas.

“Moussa Marega foi alvo de insultos racistas que devem ser severamente repreendidos”, declarou a Federação Portuguesa de Futebol, enquanto a Liga se comprometeu a “fazer todo o possível para que esse episódio de racismo não corra o risco de não ser sancionado”.

LEIA MAIS:

>Agenda: confira os jogos marcados para esta segunda-feira

“Temos que expressar nossa solidariedade com ele e nosso repúdio total a esse tipo de comportamento”, declarou o primeiro-ministro, Antonio Costa.  O presidente de Portugal, Marcelo Rebelo de Sousa, por sua vez, alertou contra as consequências dramáticas do racismo e da xenofobia.

A Federação de Futebol do Mali (Femafoot) também mostrou seu “apoio total e sua solidariedade” com o jogador de 28 anos, afirmando em comunicado ter acompanhado “com consternação e indignação os atos racistas dos quais ele foi vítima”.

A associação portuguesa SOS Racismo pediu que os autores dos gritos racistas sejam “severamente punidos”, ao mesmo tempo que mostrou preocupação por um fenômeno que acredita ser “transversal à sociedade portuguesa”.

Para o astro holandês do futebol, Ruud Gullit, as duas equipes deveriam ter deixado o campo quando o incidente aconteceu: “Seus colegas deveriam tê-lo protegido, assim como o time adversário, dizendo ‘todos sairemos do campo’. Isso é o que mais me decepciona”, ressaltou ele em Berlim.

A polícia portuguesa disse estar analisando as imagens das câmeras de segurança do estádio para identificar os torcedores que insultaram Marega.

No último domingo, o jogador decidiu deixar o campo aos 71 minutos da partida contra o Vitoria. Após marcar o gol que fez seu time vencer, aos 60 minutos, ele deixou o campo 11 minutos depois porque torcedores gritavam cantos racistas e imitavam macacos. Colegas de time e adversários tentaram impedi-lo de sair da partida, mas ele seguiu para o vestuário acompanhado de alguns membros da equipe e do técnico do Porto.


FECHAR