publicidade
13/02/20
Franck Fife/AFP
Franck Fife/AFP

“Obrigado pelas orações e preocupações, mas estou bem”, diz Pelé

13 / fev
Publicado por Marcos Leandro em Notícias às 20:46

AFP

Pelé afirmou nesta quinta-feira (13) que está bem e que mantém uma agenda atarefada, após as declarações de seu filho Edinho de que o astro sofria de uma certa depressão e não queria sair de casa.

“Obrigado por suas orações e preocupações. Eu estou bem. Estou completando 80 anos este ano. Eu tenho meus dias bons e maus. Isso é normal para pessoas da minha idade”, afirmou o Rei do futebol em um comunicado.

“Não evito cumprir os compromissos da agenda sempre em movimento. Continuo observando as limitações físicas da melhor maneira possível, mas pretendo manter a bola rolando”, acrescentou Pelé na mensagem, em que dá detalhes sobre sessões de fotos, encontros e outras atividades que estão previstas, como prova de que se mantém ativo.

Em uma entrevista para o site do Globo Esporte, seu filho ‘Edinho havia afirmado na segunda-feira que o ânimo de seu pai estava muito afetado devido aos problemas de quadril que o impedem caminhar normalmente. “Ele está bastante fragilizado em relação à mobilidade. Ele fez o transplante do quadril e não fez uma reabilitação adequada, ideal. Então, ele está com esse problema da mobilidade, que acaba acarretando uma certa depressão”, disse Edinho.

LEIA MAIS

> Pelé não consegue andar e está deprimido, afirma filho do rei do futebol

> Entrevista: após cirurgia na coluna, Pelé fala da seleção, filho Edinho e racismo

> Histórico gol 1000 de Pelé completa 50 anos

Em 2012, Pelé colocou uma prótese no quadril e, desde então, se locomove com dificuldade, chegando a aparecer em uma cadeira de rodas em público em algumas ocasiões. Seus problemas de saúde o levaram ao hospital diversas vezes nos últimos anos. A última foi em 2019, quando o ex-craque foi internado em Paris e transferido para São Paulo para remover um cálculo renal.

Em 2014, o Rei foi internado em terapia intensiva após outra infecção urinária que o forçou a fazer diálise no rim esquerdo, o único que ele tem desde que o direito foi removido nos anos 70, devido a uma lesão quando ainda era jogador.


FECHAR