publicidade
24/01/20
Rithely voltou a vestir a camisa do Sport no empate diante do Vitória das Tabocas. Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem
Rithely voltou a vestir a camisa do Sport no empate diante do Vitória das Tabocas. Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem

Rithely avalia reestreia pelo Sport contra Vitória das Tabocas: “Razoável”

24 / jan
Publicado por Davi Saboya em Notícias às 12:04

Quase dois anos depois, o volante Rithely voltou a vestir a camisa do Sport no empate por 1×1 diante do Vitória das Tabocas na última quarta-feira. Visivelmente sem ritmo de jogo e fora das condições físicas ideais, o camisa 21 ainda conseguiu ficar em campo até os 23 minutos do segundo tempo. Situação que, segundo o cabeça de área, precisa acontecer mais vezes para entrar ganhar ritmo de jogo e atingir o alto nível técnico novamente.

“Guto (Ferreira, técnico) já tinha conversado comigo uns dias antes. Mesmo assim, bateu aquele frio na barriga, aquela ansiedade. No meu ponto de vista foi uma reestreia razoável. Claro que quando não se vence, a cobrança é maior. Mas deu para movimentar vem, correr bem, agora é trabalhar para chegar no nível do restante do grupo”, afirmou o jogador.

LEIA MAIS

> Sport diz que não entrou em acordo com meia Mark González

> Sport consegue primeiras regularizações para temporada 2020

> Organizada do Sport emite nota de repúdio a furto de camisa de grupo ‘rival’

> Opinião: aspirantes do Sport não passam por média

> “Preciso um pouco de paciência”, afirma técnico do Sport sobre Rithely

“Só com sequência de jogo para ficar 100% novamente. Tem que jogar pelo menos 60 minutos para acelerar a evolução. Mas vai com o que a comissão técnica está planejando. Se não for no jogo, tem que ser no treino fazendo algo a mais”, completou.

Rithely revelou que tem procurado treinar além do projetado para o elenco. “Sempre que acaba os treinos tenho tentado fazer algo mais no campo ou na academia. A comissão técnica tem me orientado bastante no que é necessário reforçar. Tenho seguido o que ele está me passando para chegar no condicionamento ideal e não ter mais essa desculpa. Em alguns dias, acho que já irei conseguir ficar igual a todo mundo”, disse.

Questionado sobre o sentimento de voltar a vestir a camisa rubro-negra, o volante do Sport não escondeu a satisfação. “Foi uma sensação muito boa. Quando cheguei no ônibus, o coração acelerou. Quando pisei no campo, bateu aquela sensação diferente, de voltar para casa. Me sinto feliz, muito bem, foi uma sensação maravilhosa. Agora vamos focar para voltar a conquistar os resultados positivos pelo Sport”, contou.


FECHAR