publicidade
23/01/20
Apesar da vantagem do Bahia em confrontos gerais, Santa Cruz foi melhor nas últimas decisões. Foto: JC Imagem
Apesar da vantagem do Bahia em confrontos gerais, Santa Cruz foi melhor nas últimas decisões. Foto: JC Imagem

Santa Cruz e Bahia já protagonizaram duelos inesquecíveis ao longo dos anos

23 / jan
Publicado por Klisman Gama em Copa do Nordeste 2020 às 13:23


O clássico entre tricolores que será disputado entre Santa Cruz e Bahia no próximo sábado, às 16h, no estádio do Arruda, com transmissão da TV Jornal, carrega consigo um peso histórico enorme de grandes disputas. Em Campeonatos Brasileiros das Série A e B, Copa do Nordeste, há, na memória dos torcedores, jogos marcantes que não saem do imaginário do confronto. Ao todo, Santa Cruz e Bahia se enfrentaram 77 vezes, sendo 36 vitórias do time baiano, 18 empates e 23 triunfos pernambucanos, de acordo com levantamento do jornalista Cássio Zirpoli.

Apesar da considerável vantagem do Tricolor de Aço, recentemente, os corais têm mais motivos para comemorar em jogos decisivos entre as duas equipes. Mesmo assim, para os baianos, a lembrança de uma virada considerada impossível, que aconteceu há 38 anos, permanece viva.

LEIA MAIS

>> Santa Cruz oficializa Tinga e corre para regularizar o volante e outros três atletas

>> Torcida do Santa Cruz forma longa fila por ingressos para jogo contra Bahia

>> Torcida do Santa Cruz forma longa fila por ingressos para jogo contra Bahia

>> Executivo do Santa Cruz diz que alguns atletas estão com negociações encaminhadas

>> Dores, jogo de despedida, torcida: Tiago Cardoso fala sobre trajetória no Santa Cruz

1981 – Goleada do Tricolor de Aço

Campeonato Brasileiro de 1981, segunda fase. Santa Cruz e Bahia estavam no Grupo F, ao lado de Corinthians e Ponte Preta. No jogo da ida, o Mais Querido venceu por 4 a 0 o Esquadrão, no Arruda. As partidas do grupo seguiram e, na última rodada, os baianos precisavam vencer por 5 a 0 na Fonte Nova para garantir a classificação. Placar considerado impossível de ser revertido, mas o futebol mostrou o porquê de adquirir contornos épicos em determinadas situações.

No dia 4 de abril, o jogo aconteceu em Salvador. Com uma grande atuação do ponta-esquerda Gilson Gênio (que jogou no Santa Cruz em 1987) e marcou dois gols, o Bahia conseguiu o placar que precisava para avançar às oitavas de final da competição. O Tricolor pernambucano, que tinha o atacante Dadá Maravilha, sucumbiu e acabou fora da competição. Na fase seguinte, o Esquadrão foi eliminado pelo Flamengo.

1999 – Rivalidade na briga pelo acesso 

Era matar, ou morrer. Para ambos os lados. Santa Cruz e Bahia chegaram para a penúltima rodada do quadrangular final da Série B daquele ano nesta condição. De um lado, o Santa, que aos trancos e barrancos se classificou em oitavo na primeira fase e bateu o São Caetano no play-off. Do outro, o Bahia, que avançou com tranquilidade entre os 4 primeiros times da competição, sempre na zona de classificação durante todo o torneio e despachou o Avaí nas quartas de final.

O primeiro duelo contou com vitória baiana por 1 a 0 em Salvador. Na volta, no Arruda, o vencedor levaria uma grande vantagem para a última rodada. E o Tricolor pernambucano saiu na frente do placar, com gol “dividido” entre o zagueiro Janduir e o lendário atacante uruguaio Cláudio Millar. De fora da área, o zagueiro Lima soltou uma bomba para empatar o jogo, que facilitaria para a dupla Goiás e Vila Nova subirem juntos para a Série A.

Porém o goleiro Alex Guimarães, que vinha fechando a barra na partida, falhou em uma cobrança de falta de Valdomiro da intermediária. Desta forma, o Santa conseguiu uma vitória fundamental para o acesso daquele ano,confirmada com o polêmico empate sem gols contra o Goiás no Serra Dourada.

2015 – Virada coral em Salvador

O Santa Cruz ocupava a sexta colocação antes de enfrentar o Bahia na sexta rodada. Dois pontos atrás dos baianos. Vindo de vitória no Arruda, a Cobra Coral teria uma difícil missão de bater os donos da casa, que estavam brigando diretamente pelo acesso e se encontravam na quarta colocação. O Tricolor de Aço pressionou desde o começo em busca da vitória diante da sua torcida. Abriu o placar com o atacante Kieza (hoje no Náutico) aos sete minutos da etapa final. Porém os pernambucanos não se entregaram e foram em busca do empate. 

A “lei do ex” se fez presente com o zagueiro Danny Morais. Ele, que passou pelo Bahia entre 2011 e 2013, empatou de cabeça após escanteio aos 21. A reta final de jogo foi aberta, com ambos os times atacando, quando o Santa Cruz virou a partida com gol do centroavante Bruno Moraes. Dali em diante, o Mais Querido ganhou confiança, arrancou rumo à vice-liderança e acesso para a Série A. Foram seis vitórias consecutivas nos últimos seis jogos do campeonato. E uma das partidas marcantes da campanha foi esta contra o Tricolor de Aço.

2016 – Novo clássico, agora pelo Nordestão 

Depois de se enfrentarem duas vezes na fase de grupos da Copa do Nordeste e o Bahia sair vitorioso em ambos os jogos (1 a 0 cada), o Santa Cruz demitiu o técnico Marcelo Martelotte e começou as quartas de final com Milton Mendes. Dali em diante, os corais eliminaram o Ceará, enquanto os baianos despacharam o Fortaleza. Novo encontro entre tricolores nas semifinais. No Arruda, 2 a 2 em um jogo aberto. Hernane Brocador (hoje no Sport) abriu o placar. Keno, em grande fase, empatou. Grafite virou e Luisinho (que havia defendido o Santa em 2015) garantiu a igualdade no placar.

A volta em Salvador ganhou contornos dramáticos logo no começo da partida. Em falha da zaga do Bahia, Grafite ganhou a bola e arrancou em direção ao gol. Cara a cara com o goleiro Marcelo Lomba, o G23 não desperdiçou e abriu o placar. Dali em diante, o Santa Cruz segurou o placar, enquanto o Esquadrão tentava o gol de toda maneira. O jogo contou com polêmicas, como a cabeçada que Milton Mendes desferiu no auxiliar técnico do adversário, além de três expulsões de jogadores. A vitória e a classificação ficaram para o Mais Querido, que caminhou rumo ao título do Nordestão. 

A partida do próximo sábado contará com transmissão da TV Jornal, com narração de Aroldo Costa e comentários de Maciel Júnior.

Para explicar como estão as equipes participantes da competição, o Nordestão Cast, podcast exclusivo, da Copa do Nordeste, analisou todas as equipes participantes. Confira as análises de Santa Cruz e Bahia:

Santa Cruz:

Bahia:

OUÇA O NORDESTÃO CAST COMPLETO

OUÇA O QUINTO EPISÓDIO DO NORDESTÃO CAST


FECHAR