publicidade
19/01/20
Clássico dos Clássicos pelo Pernambucano terminou empatado. Foto: Léo Lemos/Náutico
Clássico dos Clássicos pelo Pernambucano terminou empatado. Foto: Léo Lemos/Náutico

Primeiro Clássico dos Clássicos da temporada não teve grandes protagonistas

19 / jan
Publicado por Fernando Castro em Náutico às 21:55

O primeiro Clássico dos Clássicos da temporada não teve um grande protagonista dentro de campo. Os lances capitais do confronto foram decididos de maneiras inesperadas, com dois gols contra. Um dos artilheiros da Série C do ano passado pelo Sampaio Corrêa, o atacante Salatiel realizou a estreia oficial com a camisa alvirrubra e teve a infelicidade de marcar contra a própria meta, no primeiro tempo.

O mesmo aconteceu com o jovem zagueiro Chico, de 21 anos. Formado nas categorias de base do Sport, o defensor voltou a atuar após um ano. No ano passado, justamente contra o Náutico, o jogador rompeu o ligamento do joelho e não teve mais oportunidades no time principal durante a sequência da temporada. No segundo tempo, o zagueiro também teve a infelicidade de marcar o gol contra, que garantiu o empate do Timbu.

Chico foi um dos sete atletas oriundos da base rubro-negra que começaram o clássico como titular. Depois da diretoria do Sport não conseguir resolver o problema de inscrição de novos jogadores na CBF, por conta de uma dívida com o meia chileno Mark González, o técnico Guto Ferreira apostou na base e não poupou elogios a garotada pelo desempenho.

LEIA MAIS

>Guto Ferreira aponta erros da arbitragem e destaca desempenho da base do Sport

>Empate com o Sport é tratado como injusto por jogadores do Náutico

>Técnico do Náutico elogia arbitragem do clássico e enxerga resultado justo

Um dos poucos jogadores mais experientes do Sport em campo, o volante Willian Farias foi o grande destaque rubro-negro no clássico. Remanescente do elenco que conquistou o acesso à Série A, o jogador conseguiu dar a desejada proteção ao sistema defensivo leonino. Ao lado dele, o atacante Elton e os laterais Vicente e Sander foram os únicos jogadores que não foram formados na base rubro-negra. O capitão Sander, aliás, teve um destaque negativo, ao ser expulso e comprometer o desempenho do time.

Já no lado alvirrubro, mesmo com a dificuldade de criar jogadas ofensivas e infiltrar na linha de quatro defensiva do Sport, o meia Jean Carlos foi o jogador que mais chamou a responsabilidade no Náutico, sendo a peça mais lúcida da equipe. Basicamente todas as bolas de perigo do Timbu no jogo passavam pelos pés do ‘camisa 10’, que também assustava com arremates de fora da área e principalmente em cobranças de faltas. Pelo desempenho dentro de campo, Jean Carlos foi eleito pela equipe do Escrete de Ouro, da Rádio Jornal, como o melhor jogador do clássico.


FECHAR