publicidade
19/01/20
Em 2019, o Timbu foi até a semifinal da Copa do Nordeste. Foto: Léo Lemos/Náutico
Em 2019, o Timbu foi até a semifinal da Copa do Nordeste. Foto: Léo Lemos/Náutico

Náutico busca o título inédito da Copa do Nordeste

19 / jan
Publicado por Fernando Castro em Náutico às 8:08

Em busca do primeiro título da Copa do Nordeste, o Náutico chega mais forte para disputar a competição deste ano. Depois de parar na semifinal no ano passado, principal campanha do clube nos últimos anos, o time alvirrubro tenta subir um degrau e chegar pela primeira vez na decisão da principal competição regional do país. Para isso, o clube manteve a base do elenco que conquistou o acesso à Série B e se reforçou com contratações pontuais.

“O Náutico vai entrar na Copa do Nordeste para ser campeão como qualquer outro campeonato. Agora, a gente sabe a dificuldade que é estar brigando com times de Série A, como o Fortaleza, Ceará, Bahia e Sport, e alguns times da Série B que também estão estruturados, como o CSA, mas a gente vai brigar pelo título, esse é um dos objetivos traçados para o grupo. É claro que não é fácil, futebol não é uma situação que se pode cravar, mas o Náutico vai entrar forte dentro de campo, a torcida pode esperar isso”, declarou o presidente Edno Melo, em entrevista ao Jornal do Commercio.

LEIA MAIS

>Patrocinadora do Santa Cruz fez proposta a Sport e Náutico

>Em apresentação, Ronaldo Alves evita polêmicas com o Sport e celebra volta ao Náutico

>Diretor do Náutico diz que estádio dos Aflitos passará por nova intervenção

Para tentar levantar a taça da Copa do Nordeste pela primeira vez, o Náutico fez alguns investimentos mais altos na montagem do elenco. Depois de manter a base do elenco campeão da Série C, a diretoria alvirrubra apostou na identificação dos jogadores com o clube e negociou os retornos do zagueiro Ronaldo Alves e dos atacantes Erick e Kieza. O lateral-direito Bryan, com menos destaque que o trio, é outro jogador que volta a defender as cores vermelha e branca.

Nas últimas duas temporadas, dentro de campo, o Náutico tem conseguido quebrar alguns tabus. Foi assim na conquista do Campeonato Pernambucano depois de 13 anos sem título, em 2018, e no inédito título nacional, conquistado no ano passado, ao ser campeão da Série C. Os feitos deixam o torcedor alvirrubro mais esperançosos em levantar mais uma taça inédita, dessa vez a “orelhuda” do Nordestão, que passa a ser uma das prioridades da equipe comandada pelo técnico Gilmar Dal Pozzo, durante o primeiro semestre.

Assim como a Copa do Brasil, a Copa do Nordeste, além de ser uma vitrine no cenário nacional para os jogadores, representa para o Náutico um aporte financeiro para a temporada. Só como cota inicial, o clube alvirrubro recebeu R$ 1,7 milhão de participação e pode faturar ainda mais em caso de classificação de fase. De maneira geral, somando todas as premiações, caso consiga conquistar o inédito título da competição, o Timbu leva para casa R$ 3,875 milhões.

“A Copa do Nordeste já é uma realidade (financeira). A competição vem se solidificando a cada dia. As premiações da competição são bastante interessantes, a cota inicial também já é bastante interessante, então além de ser um título que o Náutico neste formato da Copa do Nordeste não tem, dá uma acalmada financeira para a gente tocar o clube até o final do ano”, destacou Edno Melo.

ESTREIA

No Grupo B da competição, ao lado do rival Santa Cruz, o Náutico faz a estreia na próxima quinta-feira (23) e vai reencontrar com um velho conhecido no estádio dos Aflitos. Adversário do time alvirrubro, o River-PI é comandado pelo técnico Márcio Goiano, que treinou o Náutico na Série C de 2018 e permaneceu no clube até o primeiro semestre de 2019. Até a estreia no Nordestão, o time alvirrubro tem pela frente o clássico contra o Sport, hoje, pelo Campeonato Pernambucano.


FECHAR