publicidade
09/01/20
Warley possui contrato com o Santa Cruz até a temporada de 2021. Foto: João Victor Amorim / Rádio Jornal.
Warley possui contrato com o Santa Cruz até a temporada de 2021. Foto: João Victor Amorim / Rádio Jornal.

Tribunal marca audiência entre Santa Cruz e Warley, e CSA nega suposta dívida; Entenda o caso

09 / jan
Publicado por Diego Borges em Notícias às 19:24

A ligação entre o jovem atleta Warley e o Santa Cruz pode estar perto do fim. De contrato com o clube até o final de 2021, o jovem prata-da-casa segue sem treinar, enquanto aguarda a resolução jurídica para o pedido de desligamento do clube. Na próxima segunda-feira haverá uma audiência de conciliação com as duas partes, na tentativa de que ambos cheguem a um acordo sem a necessidade de um embate jurídico, seja pela saída ou pela permanência do atleta no clube.

ENTENDA O CASO

Warley é criado nas categorias de base do Santa Cruz e na temporada 2019 ganhou espaço na equipe principal e chegou a atuar em dez partidas, após se destacar pelo Brasileirão Sub-23 de 2018. Na Série C, inclusive, chamou a atenção pela versatilidade, tanto jogando como lateral quanto pelas pontas, na condição de atacante.

Entretanto, perdeu espaço com a chegada do técnico Milton Mendes e foi cedido por empréstimo ao CSA, após a eliminação coral no Brasileiro. Pelo clube alagoano, Warley também chamou a atenção pelas atuações que realizou em 13 partidas e até levantou rumores sobre uma possível compra pelo clube, que no entanto não foi efetuada.

LEIA MAIS

Santa Cruz fecha a primeira fase da Copinha com 100% de aproveitamento

Luiz Fernando é o novo goleiro do Santa Cruz

De volta ao Santa Cruz no último dia 6 de janeiro, após o período obrigatório de férias, Warley chegou a treinar no CT Ninho das Cobras até o dia seguinte (7), quando não se apresentou mais ao Tricolor. Então, veio à tona a notícia da solicitação do jogador e seus representantes jurídicos da rescisão contratual, sob a alegação de débitos referentes a encargos salariais supostamente em atraso, com o montante orçado em R$ 116.964,00.

Na ocasião (dia 4), o Tribunal de Justiça estava em recesso, e o pedido solicitado ao juiz de plantão foi julgado como provas insuficientes para a liberação em caráter de urgência, culminando até o momento na marcação da audiência de conciliação para o próximo dia 7, que pode não ser definitiva para o caso.

BASTIDORES

Segundo a apuração da reportagem do Jornal do Commercio, é vontade do próprio atleta e de seus representantes o desligamento do Santa Cruz. Por sua vez, embora o clube só se posicione de forma oficial a partir da audiência de conciliação ou nos autos do processo, fontes ligadas ao clube afirmam que os supostos débitos cobrados por Warley são referentes a valores que, uma vez confirmados, deveriam ser pagos pelo CSA, a quem o jogador esteve emprestado desde o mês de setembro.

CSA NEGA QUAISQUER DÉBITOS

Em entrevista à reportagem do Jornal do Commercio, o presidente do CSA, Rafael Tenório, foi enfático ao negar quaisquer débitos que venham a ser cobrados ao clube alagoano, e revelou detalhes sobre a negociação que envolveu o CSA, o Santa Cruz e Warley.

“O CSA não deve nem um centavo. Nem ao Warley e nem a nenhum jogador nosso. o CSA é um clube que paga rigorosamente em dia e toda a rescisão foi paga, com 13° e tudo o que o jogador teria direito. O Warley pode confirmar isso. É só perguntar a ele. O que nós pagamos está rigorosamente em dia. Não devemos nada”, reiterou, antes de revelar a modalidade do contrato realizado entre os dois clubes e os agentes do atleta.

“Ele veio por empréstimo, com uma opção de compra. Nós pagamos os salários integrais dele, mais a moradia. E quando terminou o contato dele, no dia 10 de dezembro, fizemos a rescisão normalmente, com 13° e férias, tudo direitinho. Ele (Warley) pode confirmar isso. O que tem no contrato que foi feito com o jogador e o Santa Cruz, foi cumprido na íntegra. Tanto o atleta com o CSA. Começou em setembro, com o salário dele pago de forma integral pelo CSA, acordado com o representante do atleta, e o CSA pagou tudo”, completou o presidente azulino.

Procurado pela reportagem do JC, o empresário Fábio Braga, representante de Warley, não atendeu às ligações até o momento da publicação da matéria.


FECHAR