publicidade
02/01/20
Evaristo de Macedo comandou o Santa Cruz na melhor década do clube, nos anos 1970. Foto: Reprodução / Twitter / @evaristo_macedo
Evaristo de Macedo comandou o Santa Cruz na melhor década do clube, nos anos 1970. Foto: Reprodução / Twitter / @evaristo_macedo

Bahia faz homenagem a Evaristo de Macedo, ídolo no Santa Cruz

02 / jan
Publicado por Diego Borges em Futebol Nordestino às 11:16

Ex-jogador e ex-treinador de sucesso no futebol brasileiro, Evaristo de Macedo representa uma página das mais vitoriosas do esporte no país, e também na região Nordeste, sobretudo para dois clubes: Bahia e Santa Cruz.

LEIA TAMBÉM

Após insucessos, Santa Cruz tenta tirar lição para ter um 2020 diferente

Onde assistir os pernambucanos na Copa São Paulo de Futebol Júnior

Com estreia de pernambucano, Copa São Paulo de Futebol Júnior inicia nesta quinta

No primeiro dia do ano, o Tricolor de Aço fez uma homenagem ao treinador responsável pelas conquistas do Campeonato brasileiro de 1988 e da Copa do Nordeste de 2001, em duas das oito passagens em que Evaristo conduziu o comando técnico do Bahia.

A HOMENAGEM DO BAHIA

O novo Centro de Treinamentos do clube, que substituirá o antigo Fazendão, foi batizado com o nome de Evaristo de Macedo, que agradeceu a homenagem via Twitter. “Iniciar o novo ano com essa honrosa homenagem me traz uma alegria sem tamanho.”

A RESPOSTA DE EVARISTO

ÍDOLO NO SANTA CRUZ

Evaristo também é ídolo no Santa Cruz e apontado como o maior técnico da história do clube. O treinador foi responsável por comandar o clube em diversas passagens, mas teve seu auge pela equipe coral na década de 1970. Com Evaristo de Macedo, o Santa Cruz conquistou os títulos de 1972, 1976, 1978 e 1979 do Campeonato Pernambucano, além dos torneios Início de 1972 e 1979, e ainda comandou o clube nas campanhas memoráveis do Brasileiro de 1975 (4° lugar) e 1977, melhores participações do Tricolor na Primeira Divisão nacional, quando recebeu o acunha de ‘Terror do Nordeste’.

No Santa Cruz, Evaristo também foi responsável pela condução da equipe na excursão que rendeu o título de honra de Fita Azul do Futebol Brasileiro, entregue pela CBF aos clubes que excursionavam fora do país e voltavam invictos. Em 12 jogos, o time coral acumulou dez vitórias e dois empates, entre eles um 2×2 contra o Paris Saint-Germain, da França. No fim de dezembro, o clube lançou mais uma camisa comemorativa do feito, que completou vinte anos em 2019.


FECHAR