publicidade
13/12/19
A torcida do Náutico tem questionado o clube quanto ao retorno do atacante. Foto: Felipe Oliveira / Divulgação / EC Bahia
A torcida do Náutico tem questionado o clube quanto ao retorno do atacante. Foto: Felipe Oliveira / Divulgação / EC Bahia

Especulação de retorno de Kieza incomoda vice do Náutico

13 / dez
Publicado por Karoline Albuquerque em Náutico às 9:32

Uma ansiedade toma conta da torcida do Náutico por causa de um especulado retorno do atacante Kieza ao clube. Uma possível negociação pela repatriação do atleta é negada pela direção alvirrubra. O disse-me-disse, inclusive, tem incomodado ao vice-presidente de futebol Diógenes Braga, não só como dirigente, mas também como torcedor do Timbu.

Muita da especulação se dá pelo contato com o agente do atacante, que é também empresário de outros atletas do Timbu, como é o caso do zagueiro Diego Silva. “No momento em que reforça o time, mantém contato com agentes todos os dias. Vou ser muito franco, isso às vezes é jogar com a ansiedade da torcida e eu, como torcedor do Náutico, me sinto um pouco incomodado”, disse.

LEIA MAIS:

>Negociações de atletas geram cerca de R$ 10 milhões para o Náutico

>Lateral Assis, do Náutico, não chega a acordo com o Santa Cruz

>Em despedida, Thiago demonstra gratidão ao Náutico e lembra dificuldades do início

Ele comparou à situação do zagueiro Ronaldo Alves. Segundo o dirigente, o caso deste foi mais viável. Com um contrato de dois anos, o zagueiro também precisou ter entendimento da nova política do clube. Diógenes repetiu, em entrevista coletiva na quinta-feira (12), que construir algo para um patamar muito distante demanda tempo.

Quanto à ansiedade por parte dos torcedores, Diógenes afirma entender a euforia. “Kieza é um ídolo, passou pelo clube, unanimidade no clube. Claro que o clube gostaria de trazê-lo de volta, mas é um jogador de patamar salarial muito acima do nosso. Fora isso, o jogador tem contrato com o Fortaleza. Qualquer tipo de situ que a gente coloque em relação a isso tem que ter muito cuidado”, completou o vice-presidente do Náutico.


FECHAR