publicidade
02/12/19
Técnico português Jorge Jesus mexeu com futebol brasileiro. Foto: AFP
Técnico português Jorge Jesus mexeu com futebol brasileiro. Foto: AFP

Jorge Jesus mira Mundial de Clubes: ‘muita motivação’

02 / dez
Publicado por Gabriela Máxima em Notícias às 11:21

Campeão por antecipação já com os recordes de pontuação (87), de gols marcados (80) e de artilheiro (Gabriel, com 24) em uma só edição. Esse é o Flamengo no Campeonato Brasileiro, mas o técnico Jorge Jesus quer mais. De olho na disputa do Mundial de Clubes da Fifa neste mês, no Catar, o português quer o time em alto nível nos dois jogos que faltam: contra o Avaí, nesta quinta-feira, no Maracanã, e contra o Santos, no domingo, na Vila Belmiro.

“Criamos uma marca desde que chegamos. Na palestra antes dos jogos, falamos em tática e muito em jogar ‘à Flamengo’. Ainda temos motivação, muita motivação, para chegar nas marcas. Isso faz com que a equipe continue com adrenalina, motivação, mesmo já sendo campeão. Segue empenhada em busca das vitórias. Eles sabem que há mais um título a ser disputado, com dois adversários que estão no auge, enquanto estamos em fim de temporada”, disse Jesus, em entrevista coletiva após bater o Palmeiras por 3×0, em São Paulo.

LEIA MAIS

>> Pré-temporada do Náutico começa nesta terça-feira de olho em 2020

>> Real Jardim conquista título sub-15 do Recife Bom de Bola 

>> Brocador renova sua fé com batismo nas águas: “nova criatura”

PROMESSAS

Jesus brincou quando perguntado se fez alguma promessa pelos títulos. “Os jogadores fizeram promessas entre eles. A minha promessa é cada vez mais amar minha profissão e esta equipe. É uma equipe que mexe muito com meu sentimento, eu estou sempre nas decisões que acharem que são melhores para equipe. Só espero que não façam uma promessa para ficar careca (risos)”, comentou, que encerrou a coletiva exaltando Gabriel.

“O Gabigol é o nome dele, é gol. Não é por acaso que colocaram esse apelido nele. Ele pode estar numa final em Lima, ficar 90 minutos sem fazer uma jogada perigosa, ficar muito tempo sem tocar na bola, mas de um momento para outro gol do Gabigol”, finalizou.


FECHAR