publicidade
24/10/19
Foto: Diego Nigro/JC Imagem
Foto: Diego Nigro/JC Imagem

Ações contra Náutico, como a do técnico Milton Cruz, impede registro de atletas

24 / out
Publicado por Klisman Gama em Náutico às 7:20

O Náutico foi surpreendido neste ano com uma punição da CBF, imposta em agosto, por conta de atrasos no pagamento de ações movidas contra o clube, sendo a maior delas pelo técnico Milton Cruz – que teve passagem pelo clube em 2017. Além dela, a falta de repasse de valores referentes ao mecanismo de solidariedade da Fifa também está inclusa. Com isso, o Timbu está impedido de registrar novos jogadores por seis meses e, desta forma, tem passado por dificuldades nas categorias de base.

A ação movida pelo técnico voltou a ser paga pela atual gestão, que quitou as parcelas atrasadas. Contudo, ainda existe um grande valor para ser pago – acima de R$ 300 mil -, do qual o clube não tem condições de pagar hoje. E só com esse pagamento o registro de novos atletas será desbloqueado antes do período determinado pela CBF.

LEIA MAIS

>> Náutico faz promoção para sócios e traça melhorias para 2020

>> Náutico planeja trabalhar em mais ações sociais no próximo ano

>> Conselho do Náutico aprova uso de selo alusivo ao título da Série C

“Numa situação dessa, pagamos 100 mil reais que estava em atraso dessas parcelas. Nosso jurídico está em um esforço enorme, estamos fazendo de tudo, ido à câmara, fazendo o pedido de reconsideração. Quando houve o atraso das parcelas conta como acordo desfeito e Náutico passou a ter o registro (de atletas bloqueado). Faltam muitas parcelas E a gente tem tentado fazer. Falei até para o Milton (Cruz) em mensagem de áudio, que não nos falta caráter, nos falta dinheiro. Mas dentro do que a gente pode honrar, a gente honra. A gente já deve ter pago quase 150 mil reais disso e estamos com tudo travado com relação a isso. O que chegou para a gente é que só vai destravar o sistema se a gente quitar um valor que está bem acima de 300 mil reais, e a gente não tem esse dinheiro”, contou o vice-presidente de futebol do Náutico, Diógenes Braga.

REFLEXOS NA BASE

O Sub-15 do Alvirrubro está atuando no Campeonato Pernambucano da Categoria com apenas 10 jogadores. Não há reservas nem mais atletas, por causa deste impedimento. “O Sub-15 está passando por um verdadeiro drama, jogando com um a menos, sem substituição. Antes tínhamos os 11, mas um jogador saiu e ficou com um a menos. A equipe, que tem sido capitaneada pelo treinador Otávio Augusto, tem sido absolutamente guerreira e estamos colocando aqui todo o orgulho que o clube tem do nível de dedicação desses garotos. A gente tem feito o possível, tem pedido muito, pago com toda a dificuldade”, contou Diógenes Braga.

Além disso, o Sub-20, que irá disputar a Copa São Paulo de Futebol Júnior em janeiro, não conseguiu ter alguns atletas inscritos para a competição, também por conta desta punição. “Queremos que revalide esse acordo, porque a gente está com uma situação de bloqueio. Isso, por exemplo, alterou algum dos nossos planejamentos para a Copa São Paulo de Futebol Júnior, porque alguns atletas que pretendíamos levar, não conseguimos inscrever, já que passou o prazo de inscrição. Alguns que pretendíamos levar, não poderemos e perdemos essa oportunidade”, finalizou o dirigente.


FECHAR