publicidade
22/10/19
O técnico do Sport rebateu críticos que afirmam que Série B 2019 é fraca. Foto: Anderson Stevens/Sport Club do Recife
O técnico do Sport rebateu críticos que afirmam que Série B 2019 é fraca. Foto: Anderson Stevens/Sport Club do Recife

Guto Ferreira se irrita e eleva tom ao rebater críticas sobre nível da Série B

22 / out
Publicado por Karoline Albuquerque em Notícias às 21:21

O técnico rubro-negro Guto Ferreira não gostou nem um pouco das críticas ao nível da Série B do Campeonato Brasileiro nesta temporada 2019. O comandante do Sport admitiu que cada um tem sua opinião, mas elevou o tom ao questionar o fundamento das críticas à competição. Disputando a Segundona pela quinta vez, Guto destacou que ele sim tem capacidade para analisar o nível em que se encontra a Segunda Divisão.

“Opinião é igual a cabeça, cada um tem a sua. E dentro dela, cada um pensa o que quer. Então, sobre falar que é uma das mais fáceis, baseado em quê? Hã? Baseado em quê? É uma das mais equilibradas. O que é que é fácil e o que é que é difícil? Eu posso falar. É a quinta que eu estou jogando, a quarta que eu estou brigando para subir. E, se Deus quiser, vai ser o quarto acesso. Eu posso falar do nível dela”, começou o técnico.

LEIA MAIS:

>Querendo se aproximar ainda mais do acesso, Sport recebe Paraná na Ilha

>Sete mil ingressos vendidos para Sport x Paraná

>Opinião: Sport também vai realizar ação contra desastre ambiental nas praias

Guto Ferreira seguiu questionando. O treinador indagou se os críticos já jogaram ou trabalharam dentro de campo, ou se analisam de fora. Ele usou do ditado “pimenta no olho do outro é refresco” para falar da desvalorização do trabalho alheio, ao invés de exaltar o que cada clube tem feito durante a disputa da competição. O rubro-negro citou jogos de alta intensidade jogados pelo Sport e elencou características encontradas em adversários, como a pressão e o jogo proposto, não só reativo.

“É muito fácil falar. Por que? Por que não tem grandes nomes… que o futebol brasileiro já não tem grandes nomes? Mas tem grandes jogadores, surgindo grandes jogadores. No mínimo, jogadores de um patamar, de nível médio-alto. É muito fácil desvalorizar a competição. Volto a falar, é uma das mais difíceis porque tem muita gente brigando. Ano passado falavam a mesma coisa a respeito da Série B. Aí você pega Fortaleza, que foi o grande campeão, está ali brigando em um nível médio-alto da Série A”, relembrou.

Dos times que subiram na temporada passada, Guto relembrou que apenas o CSA estava na zona de rebaixamento da Série A desta temporada. O Avaí, porém, também está no Z4, sendo inclusive o lanterna, com apenas 17 pontos somados. O técnico do Sport se prendeu ao Goiás, atualmente em 10º no Brasileirão, com 38 pontos.

“O Goiás, por exemplo, boa parte da equipe e o grande craque da equipe jogaram a Série B ano passado. Um craque que hoje está sendo falado no Brasil inteiro, que é o Michael. Ano passado, era o jogador chave do Goiás. Só que no ano passado, todo mundo falava bem, mas não dava ainda a ele o nível de importância que dão porque ele não tinha feito ainda contra os grandes o que ele está fazendo”, exemplificou.

Por fim, Guto Ferreira deixou seu recado. Ele espera que o olhar crítico tenha mais experiência ao analisar. “Não só de olhômetro, de achômetro. Tem que pesar coisas mais importantes para avaliar a competição”, concluiu o técnico do Sport.


FECHAR